117 presos iniciam rebelião em Parauapebas

 117 presos iniciam rebelião em Parauapebas

No final da tarde da última terça-feira (7), cerca de 117 presos das celas 01 e 02 da carceragem do Rio Verde atearam fogo em colchões e roupas, além de quebrarem uma parte da parede que divide as duas celas e iniciaram um motim.

Graças a agilidade dos funcionários da SUSIPE, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros entraram em ação e conseguiram conter o princípio de incêndio provocado pelos detentos,  havendo uma reação imediata dos presos, sendo preciso o uso de bomba de gás de efeito  moral para conter os ânimos. Os detentos exaltados  foram colocados em uma área separada na carceragem.

Logo em seguida, chegaram representante da comissão dos Direitos Humanos, OAB, Ministério Publico, e a juíza da 2ª vara criminal, Drª Alessandra Rocha da Silva Sousa.

A negociação com os detentos durou mais de 5 horas e ao final, chegaram a decisão de que 20 internos seriam transferidos para o presídio na região metropolitana de Belém, causando insatisfação de parentes que aguardavam notícias do lado de fora da carceragem.

Os Presos transferidos foram:

Bruno Wesley dos Santos Sousa, Cleison Teixeira da Silva, João Victor Lopes da Silva, Lucas Pereira Cunha, Pablo Barbosa de Lima, Rafael Alencar de Oliveira, Rafael Silva Barbosa, Wanderson Oliveira da Silva, André da Silva Mendes, Denilson Oliveira dos Reis, Ezequiel Sousa Pereira, Luan Santos da Silva, Lucas Alves dos Santos, Lucas Rodrigues da Silva, Marcos Patrick de Araújo Emiliano, Rodrigo Ferreira Menezes, Tone Rafael Galvão de Oliveira, Wemerson Rodrigues, Rafael da Silva de Jesus  Elismar Ribeiro Brandão dos Santos.

O Diretor da SUSIPE, Adalberto Murilo não quis gravar entrevista alegando que não tinha autorização para falar sobre o acontecido. As autoridades não informaram quais eram as principais reivindicações feitas pelos detentos, mais ao que se sabe é que 20 dos 168 internos que estavam amotinados nas três celas daquele prédio que tem capacidade apenas para 83 presos foram transferidos para o presídio na capital do Estado, uma vez que o presídio mais próximo da cidade de Parauapebas fica em Marabá distante cerca de 170 km, entretanto o mesmo não tinha vaga.

Déo Martins da redação do Portal InfoPebas

Deo Martins

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.