Semas se reúne com Associação dos Moradores do Jardim Ipiranga e Tropical I e II

 Semas se reúne com Associação dos Moradores do Jardim Ipiranga e Tropical I e II

“Eu gostaria que todos os representantes dos bairros tivessem essa atitude. Pois quem mora no bairro e conhece a comunidade é que sabe as necessidades de todos. Quero que encontros como esse sejam frequentes”, disse o secretário de Assistência Social, Jorge Guerreiro, durante reunião com representantes da Associação Central dos Moradores dos bairros Jardim Ipiranga e Tropical I e II, realizada na manhã de terça-feira, 24, em seu gabinete.
O encontro teve a participação da secretária adjunta e diretora técnica de programas, Suely Guilherme, do presidente da associação de moradores, Girlan Pereira, e demais representantes da entidade. Suely Guilherme esclareceu dúvidas da associação, entre as quais sobre o atendimento da equipe volante, do programa Bolsa Família, do Cadastro Único e do funcionamento do Projeto Pipa.
Um novo mapeamento dos bairros para a implantação de um Centro de Referência de Assistência Social (Cras), incluindo o Centro de Referência Especial (Creas), foi outro ponto levantado pela associação. A Semas informou que já estuda a possibilidade do mapeamento para melhorar o alcance dos serviços oferecidos.
Ao falar sobre os problemas da comunidade, Suely Guilherme destacou a importância dos técnicos da secretaria. “Vocês têm que trazer os problemas aos técnicos para que seja indicado o melhor caminho para resolvê-los. O meu trabalho aqui é receber as demandas, saber o que precisa ser feito e brigar pelo o que a comunidade necessita”, disse.
Para Girlan Pereira, o encontro serviu para o início de uma parceria com a Semas, com a qual a associação quer manter diálogo sobre as necessidades da comunidade, bem como disponibilizar o apoio da entidade a ações que o governo municipal venha a realizar nos bairros.
“Foi uma reunião muito positiva. É a primeira conversa institucional que temos. Estão iniciando a gestão, e a primeira coisa que tem que fazer é ouvir a comunidade. Então estamos aqui para apoiar, e agora aguardamos para que o que foi discutido seja efetivado”, disse Girlan Pereira.
Texto e fotos: Antônio Fernandes – Ascom/PMP

Deo Martins

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.