Susipe instala bloqueadores de celular em presídios do Pará

 Susipe instala bloqueadores de celular em presídios do Pará

A Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) instalou bloqueadores de celulares em seis presídios de dois Complexos Penitenciários do Pará: em Marituba e Santa Izabel. O aparelho bloqueia o sinal telefônico dentro das unidades prisionais e é uma medida preventiva da Secretaria de Estado de Segurança Publica e Defesa Social do Governo do Estado no combate à violência e criminalidade. A ativação dos equipamentos ocorreu no final da tarde desta terça-feira, 19.
Os bloqueadores impedem a comunicação entre o aparelho celular e a torre da operadora de telefonia móvel, cortando o sinal dentro da unidade prisional, inclusive de tráfego de dados móveis, através de rede wi fi. “A nomenclatura oficial na Anatel do que chamamos de bloqueador de celular é Sistema BSR (Sistema de Bloqueio de Sinal de Rádio). Com a ativação dos bloqueadores BSR, todas as frequências e todas as tecnologias wireless (sem fio) são bloqueadas, assim, nenhum dispositivo ilegal ou clandestino, como telefones celulares e smartphones, funcionam na unidade prisional onde o sistema foi instalado”, informou Renato Ferreira Barbosa, do Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI) da Susipe.
O investimento anual com a instalação e manutenção dos bloqueadores é de mais de R$ 3 milhões. Segundo o engenheiro Hugo Magnoler, da empresa contratada para instalação e manutenção dos equipamentos, os bloqueadores são configurados para restringir o acesso a ligações telefônicas e uso de dados móveis (internet).
O Estado do Pará contratou o serviço de bloqueio com a mais alta tecnologia, através de sistema digital que é controlado por software e monitorado remotamente. O bloqueador possui sensores que identificam os ataques e possibilitam responsabilizar os autores de todas e quaisquer tentativas de burlar o sistema“. Ainda de acordo com o engenheiro, o sistema implantado dentro dos complexos penitenciários não irá interferir nos celulares da população que reside nas proximidades das unidades prisionais.
O diretor de Administração Penitenciária da Susipe, coronel Wilson Araújo Filho, acredita que a iniciativa irá reforçar a segurança no sistema prisional paraense. “Iremos evitar que vários crimes sejam cometidos sob ordem de quem está dentro dos presídios. A iniciativa visa também evitar a entrada de aparelhos celulares nos centros de detenção, principalmente durante as visitas, onde percebemos a maior incidência nas tentativas de ingresso dos telefones de forma ilegal”, avaliou o coronel.
Para o superintendente da Susipe, coronel Rosinaldo Conceição, que coordenou o trabalho de instalação e ativação dos bloqueadores, os equipamentos irão reforçar e garantir mais eficiência ao trabalho realizado pelos agentes penitenciários nos presídios do Estado.
É mais uma ferramenta de combate ao crime organizado, pois sabemos que tal medida irá dificultar ações delituosas ordenadas de dentro dos presídios. Além da real necessidade do Estado em manter a ordem nas unidades prisionais. Apesar da fiscalização no controle de acesso de visitas, infelizmente ainda temos dificuldades de evitar 100% a entrada destes aparelhos nas unidades prisionais. Com a instalação dos bloqueadores esperamos reduzir os índices de violência e criminalidade“, destacou o superintendente.
Uma ação conjunta entre a Susipe e Polícias Civil e Militar, com apoio de homens da Força Nacional, no interior, foi montada para monitorar 24h a movimentação dentro dos presídios do Estado durante a fase inicial de teste dos equipamentos, afim de coibir qualquer eventual ocorrência.
Texto: Timoteo Lopes – Agência Pará

Deo Martins

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *