Jobson é preso suspeito de estupro no interior do PARÁ

 Jobson é preso suspeito de estupro no interior do PARÁ

Foto: Reprodução TV Globo

O jogador de futebol Jóbson Leandro Pereira de Oliveira, 28 anos, ex-Botafogo, foi preso nesta quinta-feira (23), na cidade de Couto Magalhães, no estado do Tocantins, acusado de estuprar quatro adolescentes no município de Conceição do Araguaia, sudeste paraense. Ele estava com mandado de prisão preventiva decretado pela justiça do município. Um quinto caso de estupro em que o jogador é acusado está sendo investigado. Jóbson foi suspenso pela Fifa até 2018.

Ao ser preso, o jogador recebeu das mãos dos policiais civis o mandado de prisão e não ofereceu resistência. Ele foi conduzido até a Delegacia de Conceição do Araguaia, inicialmente, para prestar depoimento. Em seguida, ficou de ser apresentado ao juiz responsável pelo mandado de prisão.

Segundo informações da Polícia Civil, o inquérito policial foi instaurado há uma semana, na Delegacia do município paraense, após uma das vítimas, uma garota de 13 anos, procurar a Polícia Civil para denunciar que fotos suas em situações pornográficas estavam circulando em grupos por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp. Segundo relatou a vítima ao delegado Rodrigo Motta, o jogador a teria aliciado em Conceição do Araguaia para levá-la até sua chácara, em Tocantins, junto com outras três adolescentes, e ali as vítimas teriam sido embriagadas e entorpecidas possivelmente com ‘roupinol’, para então serem abusadas sexualmente. Essa prática do jogador teria sido realizada várias vezes no município.

Ainda de acordo com o delegado, a vítima chegou a telefonar para o jogador, dizendo que iria denunciá-lo e o acusado teria feito ameaças à garota. Após ouvir o depoimento da adolescente, a equipe da Polícia Civil localizou as outras vítimas. ‘São quatro adolescentes, uma vai completar 13 anos, a outra já tem 13 anos completos e as outras duas têm 14 anos completos’, explica o policial. Todas foram ouvidas e confirmaram a prática criminosa. Elas passaram por exames periciais e atendimentos médicos.

Os exames comprovaram que nas duas menores, de 12 e 13 anos, houve conjunção carnal (penetração). As outras duas adolescentes alegaram, em depoimento, que consentiram as relações sexuais, no entanto, afirmaram que estavam sob efeito de bebidas alcoólicas e substâncias entorpecentes colocadas na bebida. A polícia investiga a informação de que uma quinta vítima teria sido abusada pelo jogador.

Deo Martins

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.