Asfalto na Transamazônica não resiste às chuvas

 Asfalto na Transamazônica não resiste às chuvas

Após as fortes chuvas que atingiram o Pará desde a manhã da última segunda-feira (13), quem tenta passar pelo quilômetro 80 da rodovia BR-230, a Transamazônica, entre os municípios de Brasil Novo e Medicilândia, sudoeste paraense, ou desiste de seguir caminho, ou enfrenta riscos para continuar a viagem.
Várias crateras foram formadas no local em um mesmo trecho, que fica há cerca de 10 km de Medicilândia e há mais ou menos 35 km de Brasil Novo. Na tarde de ontem, a situação piorou com o aumento das chuvas e uma fenda repartiu a via em duas partes.
Condutores e moradores improvisaram uma ponte de madeira e pedras, mas o risco ainda é grande para quem tenta passar pelo local.
De acordo com o portal Brasil Novo, alguns moradores já estavam cobrando uma espécie de pedágio para que alguns veículos utilizassem a ponte improvisada com madeira e pedras.Ainda segundo portal, as últimas obras de pavimentação no trecho foram realizadas em 2012, com o asfalto apresentando grande desgaste e oferecendo riscos aos condutores, em outras áreas da Transamazônica, em direção às cidades de Uruará, Placas e Rurópolis.
Reportagem: portal Brasil Novo – Fotos: via whatsapp

Deo Martins

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.