Parauapebas possui rede de atendimento multidisciplinar que atua no tratamento de doenças mentais e prevenção ao suicídio

 Parauapebas possui rede de atendimento multidisciplinar que atua no tratamento de doenças mentais e prevenção ao suicídio

A Rede de Atenção Psicossocial de Parauapebas é uma das mais completas do estado. Além do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), o município conta com a Clínica Psicossocial Nise da Silveira, um espaço para pacientes críticos que oferece assistência especializada e humanizada. A principal porta de entrada para quem busca ajuda psicológica são as Unidades Básicas de Saúde (UBS) que, também, possuem profissionais capacitados e habilitados para o diagnóstico de adoecimento mental.

Para além das estruturas de atendimento, a Rede de Atenção Psicossocial de Parauapebas realiza um trabalho preventivo, indo às escolas e trabalhando o tema saúde mental com adolescentes. Wagner Dias é supervisor da rede e fala das ações do Programa Saúde na Escola (PSE). “As equipes se deslocam até as escolas para realizar essas ações direcionadas aos adolescentes. Durante o Setembro Amarelo, servidores da Atenção Primária realizaram diversas palestras sobre bullying, comportamento autolesivo e outras causas que podem levar ao suicídio. Ou seja, são ações preventivas para mostrar aos adolescentes que o sistema de saúde pública está de portas abertas para recebê-los”, explica o psicólogo.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Gilberto Laranjeiras, todos os profissionais da rede de atendimento psicossocial de Parauapebas estão preparados para prestar um atendimento humanizado aos pacientes “Todos nós podemos ser acometidos de uma doença mental e querer buscar, por vezes, o isolamento. Esse não é o caminho certo, busque ajuda. Nunca vi uma equipe tão esforçada e dedicada naquilo que faz, cuidam com amor, praticam o ouvir e se tornam um porto seguro”, comenta o gestor. Laranjeiras ainda reforça sobre a importância do cuidado prévio “a prevenção sempre será o melhor caminho”, finaliza.

Passo a passo

O primeiro passo para buscar ajuda é se direcionar até a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de você. Após o acolhimento, será direcionado para uma consulta com o clínico geral. A partir da avaliação desse médico, você é encaminhado para um psicólogo ou psiquiatra, de acordo com o parecer do clínico. Caso necessário, você será encaminhado para o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) que oferece tratamento contínuo. A estrutura faz total diferença no processo de socialização e integração das pessoas com sofrimento mental por meio da realização de oficinas de pintura e música, celebração de datas comemorativas com a família e as equipes profissionais, bem como terapia individual e em grupo.

Para casos mais graves, que necessitam de internação, a entrada é realizada diretamente no Pronto Socorro, de lá o paciente é conduzido para a Clínica Psicossocial Nise da Silveira, que é composta por 8 leitos de enfermaria e espaço de convivência.

Psicooncologia
Além desses serviços, a população conta com o serviço de Psico-Oncologia, que começou a ser ofertado na Policlínica de Parauapebas este ano. O Município é o único da região de Carajás a ofertar esse tipo de atendimento, que cuida dos aspectos emocionais dos pacientes com câncer, ajudando a enfrentar o tratamento e, assim, reduzir o sofrimento por meio de atendimento psicológico.

Assessoria de Comunicação – Prefeitura de Parauapebas

Deo Martins