Pará é o primeiro estado a cumprir decisão judicial e desocupar vias e áreas militares

 Pará é o primeiro estado a cumprir decisão judicial e desocupar vias e áreas militares

Com o objetivo de assegurar o direito de ir e vir da população e manter a ordem pública, uma ação integrada dos órgãos de segurança pública estadual e municipal garantiu nesta segunda-feira (09), a desocupação e dissolução da ação de manifestantes nas imediações do 2° Batalhão do Exército, na principal avenida de acesso ao centro de Belém, em cumprimento à decisão judicial expedida pelo Superior Tribunal Federal (STF).

Em suas redes sociais, o governador do Estado, Helder Barbalho, reforçou que “O Pará é o primeiro estado do país a cumprir a decisão do ministro Alexandre de Moraes. O acampamento localizado em frente ao Quartel do Exército, em Belém, já foi desmontado. Aqui no Pará, não vamos admitir atos terroristas e ações como as que aconteceram em Brasília”, afirmou.

As ações que estão sendo coordenadas a partir do gabinete de crise instalado durante reunião estratégica na manhã desta segunda-feira (09), no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), pela Segurança Pública e Defesa Social (Segup) junto aos órgãos do sistema de segurança estadual, órgãos municipais e federais, iniciaram com uma reunião de alinhamento e estratégias para o início dos trabalhos. Por volta de 10h45, a decisão foi cumprida, com a retirada dos acampamentos, tendas, bandeiras e também a dispersão dos manifestantes, com a adoção de ações estratégicas, sem ocorrência de confronto.

Segundo o secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado, o trabalho de monitoramento foi realizado imediatamente para que os atos não se expandissem no estado e a ordem fosse mantida.

Em relação aos bloqueios no Pará, não há rodovias estaduais bloqueadas. As vias internas, como na Almirante Barroso, foram desocupadas, e pelo menos cinco pessoas já foram presas, inclusive sob ordem do Supremo, que dizia que quem fosse encontrado nesses locais seria preso em flagrante. Em relação a rodovias federais, tivemos alguns episódios, mas já foram controlados e continuamos trabalhando de forma integral para garantir a ordem e segurança”, afirmou o titular da Segup.

Com base na decisão judicial, durante a ação de desocupação, cinco pessoas foram presas em flagrante delito, e encaminhadas para a Superintendência da Polícia Federal, responsável pela autuação e procedimentos legais.

Reforço no Distrito Federal – No final da manhã desta segunda-feira (09), 60 policiais do Comando de Missões Especiais e Batalhão de Choque foram enviados ao Distrito Federal em apoio ao Governo Federal para ajudar o país a voltar à normalidade e garantir o cumprimento das decisões judiciais. Em Brasília, a tropa permanecerá sob coordenação do Ministério da Justiça e Segurança Pública, o qual após reunião de alinhamento, irá definir as atividades de cada unidade que está dando apoio.

O secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado, junto ao Comandante-geral da Polícia Militar, Dilson Júnior, seguiu para Brasília acompanhando a tropa, destacou “nós estamos colaborando com o Governo Federal, sob orientação do Judiciário, para que possamos reforçar a segurança no Distrito Federal, e assim possamos manter a ordem pública”.

O gabinete de crise, coordenado pela Segup no CICC, está integrando representantes das Polícias Militar, Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Departamento de Trânsito Estadual, Secretaria Executiva de Mobilidade Urbana, Guarda Municipal de Belém, Organização Pública, Samu e Exército. No local, as imagens de câmeras de videomonitoramento continuam sendo acompanhadas em tempo real.

Deo Martins