ENGIE Brasil Energia arremata concessão em leilão da Aneel

 ENGIE Brasil Energia arremata concessão em leilão da Aneel

A ENGIE Brasil Energia foi vencedora do leilão de concessão para construção, operação e manutenção de linhas de transmissão e uma subestação no Pará, complementares ao projeto Novo Estado, nesta quinta-feira, 30 de junho, na sede da B3, em São Paulo. A companhia ganhou a disputa ao oferecer um deságio de 59,90% frente à menor receita anual permitida pela agência reguladora.

A concessão está alinhada à estratégia de crescimento da ENGIE Brasil Energia na área de transmissão de energia por meio de projetos de infraestrutura que fortaleçam o Sistema Interligado Nacional (SIN), além da importância de diversificação das atividades do Grupo no país, que atua com geração renovável, transmissão de energia e transporte de gás por meio de participação da TAG. “Teremos dois projetos em sinergia. Podemos otimizar esforços através da experiência que já temos na região, além dos recursos empregados, assim fomentamos nossa visão de futuro de forma responsável”, comenta Eduardo Sattamini, diretor-presidente e de relações com investidores da ENGIE Brasil Energia.  O projeto Novo Estado está em implantação entre os estados do Pará e Tocantins e contempla mais de 1800 quilômetros de linhas de transmissão.

O prazo da concessão do serviço público de transmissão, incluindo a construção, a montagem, a operação e a manutenção das instalações de transmissão, será de 30 anos, contado da data de assinatura do contrato de concessão. A expectativa de que a redução no investimento total na implantação do projeto seja superior a 20%, com antecipação de cerca de 18 meses na operação comercial em relação aos prazos previstos pela Aneel, estimativas sujeitas a atualizações.

Sobre a ENGIE

A ENGIE é referência mundial em energia e serviços de baixo carbono. Com nossos 170 mil colaboradores, clientes, parceiros e stakeholders, estamos comprometidos em acelerar a transição para um mundo neutro em carbono, através do consumo reduzido de energia e soluções mais sustentáveis. Inspirados em nosso propósito, nós conciliamos performance com um impacto positivo sobre as pessoas e o planeta nos apoiando nas nossas atividades chave (gás, energia renovável e serviços) para oferecer soluções competitivas aos nossos clientes.

No Brasil, a ENGIE é a maior empresa privada de energia do País, atuando em geração, comercialização e transmissão de energia elétrica, transporte de gás e soluções energéticas. Com capacidade instalada própria de 10 GW em 69 usinas, o que representa cerca de 6% da capacidade nacional, a empresa possui 97% de sua capacidade instalada proveniente de fontes renováveis e com baixas emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), como usinas hidrelétricas, eólicas, solares e a biomassa.

A ENGIE é também a detentora da mais extensa malha de transporte de gás natural do país, com 4.500 km, que atravessam 10 estados e 191 municípios, graças à aquisição da TAG, concluída em 2020.

Além disso, a ENGIE possui um portfólio completo em soluções integradas responsáveis por reduzir custos, emissões e melhorar infraestruturas para empresas, como ar comprimido, autoprodução solar local, biogás e biomassa, consultoria e gestão de energia, HVAC e subestações. Nas cidades, atuamos como parceira para tornar os espaços urbanos mais eficientes e sustentáveis, com soluções de iluminação pública, mobilidade elétrica e de district cooling.

Contando com 3.500 colaboradores, a ENGIE teve no país em 2021 um faturamento de R$ 13,5 bilhões.

A ENGIE está presente na B3 por meio de sua empresa de geração e comercialização de energia cujo ticker é o EGIE3. Na B3, a ENGIE integra o Novo Mercado, além de ser uma das únicas companhias listadas no Índice de Sustentabilidade Empresarial desde o início do ISE, em 2005. Em 2021, a B3 incluiu os papeis da ENGIE no Índice Carbono Eficiente (ICO2), composto pelas ações das empresas participantes do IBrX 100 que possuem maior transparência em relação ao reporte das emissões dos GEE e de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.

Já o Grupo teve em 2021 uma receita de 57,9 bilhões de Euros e é negociado nas bolsas de Paris e Bruxelas (ENGI), sendo representado nos principais índices financeiros (CAC 40, Euronext 100, FTSE Eurotop 100, MSCI Europe) e índices não financeiros (DJSI World, DJSI Europe, Euronext Vigeo Eiris – Eurozone 120/Europe 120/France 20, MSCI EMU ESG screened, MSCI Europe ESG Universal Select, Stoxx Europe 600 ESG, e Stoxx Global 1800 ESG).

Deo Martins