Uma investigação policial que está em curso há quase dois meses conseguiu prender duas pessoas ontem, quarta-feira (5), nas cidades de Marabá e Dom Eliseu. A operação elucidou um latrocínio e descobriu um esquema de roubo de cargas que vem ocorrendo na região. Inicialmente, foi preso temporariamente o empresário Rodrigo de Oliveira Jadjiski, residente em Marabá, e depois foi preso Francisco Pereira dos Santos, conhecido como “Seboso”, em Dom Eliseu. Na manhã de hoje, quinta-feira (6) o delegado Toni Vargas, que conduz as investigações, irá conversar com a Imprensa para fornecer mais detalhes sobre a operação.
O que se sabe até o momento é que Rodrigo Jadjiski é acusado de encomendar cargas roubadas. Acontece que numa dessas encomendas a situação saiu do controle e o homem contratado para fazer o roubo acabou matando o caminhoneiro que transportava a carga. O caso aconteceu no dia 16 de maio deste ano, na Folha 26, em Marabá, tendo como vítima Joel José de Souza, de 32 anos.
Delegado Toni Vargas não confirmou, mas uma fonte da Polícia Civil assegurou que Francisco Santos, o “Seboso”, foi o autor desse crime a partir do qual as investigações se intensificaram, chegando até a prisão temporária de Jadjiski, que foi representada pelo delegado e decretada pela Justiça.
Aliás, delegado Toni Vargas solicitou não apenas a prisão dos acusados, mas também mandados de busca e apreensão na casa de Jadjiski. Foi justamente cumprindo esses mandados que o policial encontrou um contrato de aluguel de um imóvel localizado na Rua Geraldo veloso, 71, Bairro Bela Vista, onde funcionava um mercadinho e um depósito repleto de cargas roubadas, avaliadas em mais de R$ 100 mil, pertencentes a Jadjiski.
Na noite de ontem, o delegado seguiu para lá, levando um micro-ônibus, dentro do qual o material foi todo transportado para ser apreendido na sede da 21ª Seccional Urbana de Marabá.
O delegado Toni Vargas não quis adiantar nada para a Imprensa. Comentou, apenas, que se trata de uma grande organização criminosa que vem agindo na região. “Isso aqui é o final de uma primeira fase. A partir daqui a gente vai encontrar outros elementos a fim de responsabilizar mais pessoas que cometem esse tipo de delito na região”, afirmou.
Toni Vargas confirmou ainda que existe uma ligação entre Rodrigo Jadjiski e o assaltante Gimiclei Silva Souza, conhecido como “Binga”, que foi preso na madrugada de segunda-feira (3), em Marabá, junto com mais três pessoas que integrariam uma quadrilha que promove roubos na modalidade “sapatinho”.
Procurado pelo Jornal Correio, o advogado Arnaldo Ramos, que defende Jadjiski, não quis entrar em detalhes sobre o caso. Apenas confirmou que se trata de uma prisão temporária dentro de uma investigação de latrocínio e roubo de cargas e adiantou que irá pedir habeas corpus do cliente dele hoje pela manhã.
Reportagem: Chagas Filho com informações de Josseli Carvalho e Evangelista Rocha/CorreiodeCarajás