A Polícia Civil abriu inquérito para investigar a morte de um bebê de um ano e meio na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Breves, município do arquipélago do Marajó. A criança havia sido perfurada mais de 30 vezes na enfermaria da unidade e morreu na madrugada de hoje (24). O delegado Edson Azevedo, que preside o caso, irá mandar exumar o corpo para fazer necropsia e, desta forma, identificar a causa da morte.

Com quadro de vômito e febre, o bebê foi levado pela mãe à UPA de Breves, onde chegaram por volta das 19h30. Entretanto, o atendimento só ocorreu às 22 horas. A criança teve o braço furado mais de 30 vezes durante o atendimento e morreu durante a madrugada.

A mãe fez um registro do fato na unidade policial e um médico do município realizou um exame médico antes de o corpo ser enterrado. “Foi constatado que no braço dela havia mais de 30 tentativas de furada de agulha pra pegar a veia, feitas pela técnica de enfermagem. Ainda não se sabe de que a criança morreu“, afirmou o delegado Edson Azevedo, que irá solicitar posteriormente ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPCRC) a exumação do corpo para realização de necropsia.

Ainda segundo a polícia, a equipe do hospital tentou encaminhar a criança para Belém, mas não foi possível por falta de logística. Após o resultado da necropsia e conclusão do inquérito, será possível confirmar o que causou a morte da criança e apontar responsáveis.

Repotagem: ORM

Comentários do Facebook