Família de Gabriel foi encontrada após 20 anos. Foto: Pebinha de Açúcar

Um final feliz para uma reportagem investigativa de quase dois anos. “Finalmente consegui encontrar a família do Gabriel Costa de Carvalho, o homem maltrapilho que percorre diariamente, descalço, as ruas de Parauapebas, não aceita nada de ninguém, não pede nada e conversa pouco.” Desabafou Lima Rodrigues.
Na noite deste sábado conversei com o sobrinho dele, Audisney Carvalho, que mora em Brasília. Ele confirmou o nome do Gabriel e os nomes dos pais dele, que o próprio Gabriel havia me dito em entrevistas nos últimos dois anos: Benedito e Sebastiana. A conversa foi emocionante. Chorei muito de emoção. O Audisney me disse que a maioria da família dele já mora em Brasília há muito tempo, mas ainda há parentes residindo em Formosa (GO).
Segundo Audisney, o Gabriel sumiu certa vez e ficou muito tempo longe da família. Algum tempo depois voltou, maltrapilho, foi bem cuidado, mas certo dia disse que ia embora e sumiu de novo. Deixou claro que gostava muito do Pará e de índios. “Ele sumiu há mais de 20 anos. Não tínhamos mais informações sobre meu tio, mas agora estamos felizes com esta notícia, graças a você”, disse o sobrinho, por telefone, também bastante emocionado.

Lima Rodrigues e Gabriel em uma das conversas.

Para eu chegar até ao Audisney foi uma longa batalha. Depois de publicar mais um apelo no meu face com o título “Ainda vou encontrar a família deste homem”, e ao lado uma foto com ele, tirada em nosso último encontro na Rua 14, no centro de Parauapebas (PA), por volta das 13h de sexta-feira (26), a postagem repercutiu bastante nas redes sociais com mais de mil e 76 curtidas (até agora 23h22, momento em que estou redigindo este texto), quase 500 compartilhamentos e centenas de comentários, e muita gente se mobilizando junto a parentes e amigos que moram em Brasília e Formosa, e mais de 1 milhão de acessos no mesmo texto publicado no site www.pebinhadeacucar.com.br, o sobrinho do Gabriel viu a publicação no Face de um amigo e afirmou que era o tio dele.
Ao saber da notícia, o secretário Assistência Social de Parauapebas, Jorge Guerreiro, entrou em contato com o Audisney e com outros familiares do Gabriel e me passou a informação. Estava trabalhando durante todo o dia (sábado) na zona rural, fazendo reportagem para meu programa Conexão Rural. Ao chegar à noite, entrei em contato com o secretário Jorge, agradeci o empenho e liguei para o Audisney. Disse que na minha segunda conversa que tive com o Gabriel ele confirmou o nome dele, reafirmando o que havia revelado há quase dois anos e informou os nomes dos pais: Benedito e Sebastiana. Mais provas: eu disse que na conversa que tive com ele, o Gabriel revelou que tinha mais irmãos, “um bocado”, e citou dois nomes: Matias e Tonico, sem lembrar outros nomes. O Audisney confirmou tudo e disse que o tio dele, Tonico, já morreu. Tudo confirmado, veio mais choro. Eu parecia uma criança com tantas lágrimas.
Depois, o secretário Jorge Guerreiro entrou em contato comigo e disse que havia conversado com uma sobrinha do Gabriel, a Vanusa, e ela confirmou a morte de seu pai Evandro Costa de Carvalho (o Tonico) e revelou que Gabriel tem mais três irmãos homens e duas irmãs e enviou uma foto na qual aparecem as irmãs Zilene e Naiva e os irmãos Izaías e João.

As irmãs de Gabriel: Zilene e Naiva e os irmãos dele: Izaías e João.

O secretário Jorge Guerreiro informou que na segunda-feira serão tomadas todas as providências necessárias – assistenciais e jurídicas – para que o Gabriel seja levado para Formosa ou Brasília, dependendo da decisão da família dele. E garantiu que eu serei informado sobre todo o processo.
Guerreiro disse ainda que assistentes sociais e psicólogos da Secretaria de Assistência Social já tentaram várias vezes se aproximar do Gabriel e nunca conseguiram nem levá-lo para um abrigo ou que ele aceitasse roupa ou qualquer outro tipo de apoio como banho e roupa lavada. Levando em conta que o Gabriel tem momentos de lucidez, o secretário de Assistência Social de Parauapebas informou à família que ele “deve passar por um tratamento psiquiátrico” e que acredita na rápida recuperação de suas faculdades mentais.
Obrigado meu Deus por tudo. Obrigado meu amigo Bariloche Silva, do site www.pebinhadeacucar.com.br pela força das publicações. Obrigado Secretário de Assistência Social de Parauapebas, Jorge Guerreiro. Obrigado Dr. Gildásio Teixeira Ramos. Obrigado Promotor Hélio Rubens, do Ministério Público Estadual do Pará em Parauapebas. Obrigado a todos vocês que curtiram e compartilharam meus textos e apelos e fizeram com que eu encontrasse a família do Gabriel Costa de Carvalho. Valeu, gente. Um abraço.

Comentários do Facebook