Netflix está de olho em quem compartilha senhas

 Netflix está de olho em quem compartilha senhas

Netflix alerta usuários: “se você não mora com o proprietário desta conta, precisa de sua própria conta para continuar assistindo”. | Meme generator

Eis que tu abres uma conta na Netflix. Aí a vem aquele primo, que só te vê uma vez por ano, ou aquele colega de turma que só te dá bom dia e olhe lá, e te pede: “me dá a tua senha?“. Mas também pode ser o contrário: tua tia, que mora em outra cidade, assinou o streaming e tu, como quem não quer nada, mandou um: “tia, divide a senha comigo!“. Pois é, a Netflix está de olho nisso.

Mês passado, usuários da Netflix começaram a receber este aviso: “se você não mora com o proprietário desta conta, precisa de sua própria conta para continuar assistindo“. Para continuar assistindo, era necessário verificar a conta com um e-mail ou código de texto, ou criar uma nova conta com um teste gratuito de 30 dias.

A Netflix (que não é besta!) quer ter certeza de “que as pessoas que estão usando uma conta da Netflix são as que estão autorizadas a fazê-lo“, disse o COO e diretor de produto Greg Peters durante entrevista na última terça-feira (20).

Mas o fundador da empresa e co-CEO, afirmou que qualquer ação da companhia no sentido de restringir o compartilhamento de senhas não será feita de maneira agressiva. “Nós testaremos muitas coisas, mas nunca lançaremos algo que pareça ‘pressionar’ as pessoas que gostam do serviço“, disse Reed Hastings, em conferência com investidores.

Segundo a Netflix, o recente teste de verificação de senha segue a mesma estrutura dos demais testes da plataforma. partir dos resultados, a empresa vai decidir como irá proceder, uma vez que a Netflix identificou diferentes tipos de comportamento por país em termos de compartilhamento de senha.

Ainda não está claro para a companhia se o melhor caminho seria cortar o acesso. O aperto no compartilhamento de senhas chega justamente no momento que os resultados da empresa pioram. Consumidores em muitos países começam a sair de lockdowns relacionados à pandemia e a concorrência de outros serviços de streaming aumentou.

No primeiro trimestre de 2021 o crescimento de assinantes foi mais fraco do que o previsto. A empresa disse que adicionou mais 4 milhões de assinantes em uma base líquida global entre janeiro e março, menos do que sua previsão de 6 milhões. “Está um pouco vacilante agora“, afirmou Hastings. No ano passado, no início da pandemia, a empresa adicionou mais de 15,8 milhões de assinantes no mesmo período.

Hastings afirma que a maior competição da Netflix no momento é a TV linear, seguida pelo YouTube, enquanto o Disney+ é “consideravelmente menor” do que os dois. A Netflix espera que o crescimento de assinantes cresça no segundo semestre, quando alguns de seus programas de maior sucesso retornarão com novos episódios, incluindo “The Witcher” e “You“. A Netflix deve gastar mais de US$ 17 bilhões em conteúdo este ano.

DOL com informações de Guilherme Ravache, do UOL

Deo Martins