Pfizer vai produzir vacinas contra a Covid-19 em fábrica no Brasil

 Pfizer vai produzir vacinas contra a Covid-19 em fábrica no Brasil

REUTERS/Dado Ruvic

As farmacêuticas Pfizer e BioNTech anunciaram na manhã desta quinta-feira (26) que passarão a produzir sua vacina contra a Covid-19 em uma fábrica no Brasil. Os imunizantes serão produzidos por meio de uma parceria com o laboratório brasileiro Eurofarma. A colaboração foi formalizada por meio da assinatura de uma carta de intenção.

As vacinas da Pfizer produzidas no Brasil serão distribuídas em toda a América Latina, a previsão é que a produção dos imunizantes na fábrica da Eurofarma comece no início de 2022. Os insumos para fabricação das vacinas serão enviados de fábricas da Pfizer nos Estados Unidos, que é de onde são exportadas as vacinas usadas aqui na América Latina atualmente.

A farmacêutica Eurofarma possui um grande centro industrial em Itapevi, na Grande São Paulo. Crédito: Eurofarma/Divulgação

Operando em plena capacidade operacional, é possível que a fábrica da Eurofarma produza mais de 100 milhões de doses de vacina por ano. Esta é a terceira parceria técnica para produção de vacinas em solo brasileiro. Atualmente, a Sinovac tem suas vacinas produzidas no Instituto Butantan, em São Paulo, e as vacinas da AstraZeneca são envasadas na Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro.

Ampliação do acesso

Em nota, o CEO da Pfizer, Albert Bourla, declarou que o acordo com a Eurofarma deve permitir um acesso mais justo e equitativo à vacina. O executivo declarou que todos merecem acesso às vacinas contra a Covid-19 e defendeu que a imunização é responsável por salvar vidas. O CEO acrescentou que não deve haver nenhum tipo de distinção para a imunização, incluindo a condição socioeconômica.

Bourla também disse que a colaboração com a farmacêutica brasileira deve ajudar a Pfizer a expandir sua rede global de cadeia de suprimentos, além de auxiliar a empresa a continuar fornecendo um acesso justo e equitativo à vacina. O executivo terminou dizendo que a empresa buscará outros acordos como este para garantir que as vacinas estejam disponíveis para todos que precisem.

Fonte: G1

Deo Martins