Pará têm três casos suspeitos de varíola dos macacos em análise

 Pará têm três casos suspeitos de varíola dos macacos em análise

Varíola dos macacos provoca erupções na pele — Foto: CDC

O Pará tem três casos suspeitos de varíola dos macacos. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (1º) pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

Os casos são dos municípios de Ananindeua, Parauapebas e Santarém. Ainda não há caso confirmado da doença no estado.

Em nota, a Sespa disse que os três pacientes estão isolados e reforça que “já fez a orientação para que seja realizada a análise clínica, notificação do caso e encaminhamento das amostras dos pacientes para laboratório“.

A varíola dos macacos é transmitida de uma pessoa para outra por contato próximo com lesões, fluidos corporais, gotículas respiratórias e materiais contaminados, como roupas de cama.

A doença geralmente se resolve sozinha (é autolimitada) e os sintomas costumam durar de 2 a 4 semanas. Casos graves podem ocorrer, mas a varíola dos macacos é bem menos letal que a varíola humana, erradicada em 1980.

Nos últimos tempos, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a taxa de letalidade da varíola dos macacos foi de cerca de 3% a 6%; para a varíola humana maior, esse percentual chegava a 30%.

A doença ainda não tem uma vacina específica, mas três vacinas já existentes contra a varíola humana podem ser usadas para proteger contra a varíola dos macacos. Alguns países já estão aplicando uma delas, mas ainda não há previsão de chegada no Brasil.

G1

Deo Martins