Paciente amazonense é transplantado no Regional de Santarém e recebe alta

 Paciente amazonense é transplantado no Regional de Santarém e recebe alta

O fim deste ano ficará marcado para sempre na vida do micro-empresário Leonis Alcantarino Deodato, de 37 anos. Em poucos dias, ele saiu de Manacapuru, no interior do estado Amazonas, e viajou até Santarém, onde passou por um transplante renal no Hospital Regional do Baixo Amazonas Dr. Waldemar Penna, ganhando a chance de uma vida nova. Na última sexta-feira (9), recebeu alta hospitalar.

Eu já nem acreditava mais que poderia ser ainda este ano. Mas recebi a confirmação no dia 30 de novembro e, no dia seguinte, já estava aqui para o transplante. Deus abençoou e eu só tenho a agradecer a toda a equipe do HRBA”, comemorou.

Paciente Leonis viajou do Amazonas até Santarém para realizar o transplante no HRBA_Instituto Mais Saúde

Dono de uma barbearia, Leonis descobriu, ainda em 2020, que estava com insuficiência renal. No ano passado, começou as sessões de hemodiálise, que fazia três vezes na semana em Manaus, distante cerca de 100 km de Manacapuru. O tratamento trouxe uma série de dificuldades para ele, a esposa e os quatro filhos. Mas eles não desistiram.

Tive altos e baixos na diálise. Havia momentos em que passava muito mal mesmo. E isso sem falar que com as viagens para Manaus, eu quase não tinha tempo para cuidar do nosso empreendimento. Nossa renda foi muito prejudicada, mas tivemos apoio de muitos familiares e amigos e demos a volta por cima. Foi quando um amigo, que fazia hemodiálise também, disse que ia para Santarém, cidade natal dele, para tentar o transplante. E eu decidi tentar também”, conta.

Fila – Leonis passou oito meses na fila do Pará, já que o estado do Amazonas não realiza este tipo de transplante. Ele recebeu o rim de um doador falecido de Belém do Pará e foi o 78º transplantado do Regional do Baixo Amazonas, unidade pertencente ao Governo do Estado e administrada pelo Instituto Social Mais Saúde. O HRBA realiza este procedimento desde 2016 e é referência no serviço para todo interior paraense. Este foi o primeiro transplante de um paciente de fora do estado, mostrando a importância da unidade também para toda a região amazônica.

Temos uma equipe muito comprometida e competente e, assim, conseguimos levar este serviço de excelência aos pacientes. “Cada transplante renal é uma chance de devolver a saúde dessas pessoas, de fazer com que eles parem com a hemodiálise e tenham uma vida bem próxima do que tinham antes da doença. E poder fazer isso também para usuários de fora do estado nos traz muita satisfação. É o resultado de um trabalho árduo para levar sempre a melhor assistência a todos”, explicou o médico nefrologista Emanuel Espósito, responsável pelo serviço de transplantes da unidade.

O procedimento também marcou o início da gestão do Instituto Social Mais Saúde (IMS), que assumiu a operacionalização do HRBA no dia 1° de dezembro deste ano. “A Organização Social está trabalhando nessa transição para garantir que tudo seja realizado de maneira segura, dando continuidade aos serviços disponíveis e aumentando os atendimentos em especialidades como cardiologia, endocrinologia, mastologia, oncologia e pneumologia’”, destacou Marcos Silveira, diretor executivo interino do Regional do Baixo Amazonas.

O HRBA é referência para 1,4 milhão de pessoas residentes em 30 municípios da região Oeste do Pará. E segue beneficiando a vida de muitos pacientes, oferecendo um atendimento de excelência e humanizado.

Eu já não sinto mais praticamente nada depois do transplante. São oito dias sem a hemodiálise e eu sou só gratidão a Deus e a todos os colaboradores do HRBA, que sempre me atenderam muito bem. Técnicos, enfermeiros, a equipe. Muito obrigado a todos vocês”, concluiu Leonis.

Deo Martins