Multidão toma conta da Esplanada em domingo ensolarado na capital

 Multidão toma conta da Esplanada em domingo ensolarado na capital

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

A temperatura elevada e o dia ensolarado na Esplanada dos Ministérios acenderam um alerta para equipes do Corpo de Bombeiros e da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, neste domingo (1°) de posse do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva.

Para amenizar o calor, carros-pipa dos bombeiros estão jogando jatos de água na multidão, que se aglomera ao longo do gramado da Esplanada dos Ministérios, para acompanhar a cerimônia de posse e os mais de 60 shows programados para ocorrer até a madrugada de segunda-feira, na programação do Festival do Futuro.

A Secretaria de Saúde montou três pontos de atendimento para casos que podem ser resolvidos no local. “Teremos uma vitrine para o mundo e vamos trabalhar para que a população e os visitantes tenham todo o amparo“, disse a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio.

Segundo ela, as equipes estão preparadas para atender casos como de pressão arterial baixa, desidratação e insolação. Casos de maior complexidade serão encaminhados para hospitais próximos. Ao todo, 63 servidores estão escalados para trabalhar na posse de Lula.

Supporters gather ahead of Lula's swear-in ceremony, in Brasilia
Apoiadores de Lula chegam à Esplanada dos Ministérios para acompanhar a posse presidencial – Reuters/Lucas Landau/ Direitos Reservados

Público

Os lugares que dão acesso a uma vista privilegiada da cerimônia, como a lateral da rampa do Palácio do Planalto e próximo ao espelho d’agua do Congresso, já estão completamente lotados desde o final do manhã.

Famílias com crianças, jovens, idosos e adultos agitam bandeiras e entoam músicas da campanha do presidente eleito em segundo turno no dia 30 de outubro.

Próximo ao Congresso, a movimentação começa a ser intensificar com a chegada de profissionais de imprensa e parlamentares que acompanharão a sessão de posse. A segurança no local foi redobrada e todos que acessam o interior do prédio – com exceção dos parlamentares –, passam por detectores de metal.

Agência Brasil

Deo Martins