Marabá perde Comandante Junqueira, o “pai da aviação

 Marabá perde Comandante Junqueira, o “pai da aviação

Junqueira em um de seus aviões: milhares de horas de voos pelos céus da Amazônia/ Fotos: Evangelista Rocha

Por volta de 7h30 desta terça-feira, 4, Marabá perdeu mais um filho ilustre para a covid-19. Faleceu Antonio Carlos Junqueira, o Comandante Junqueira, de 68 anos de idade, um empresário do ramo de aviação, que chegou a Marabá na década de 1970 e construiu uma das principais empresas de aviação civil regional, a JUTA (Junqueira Táxi Aéreo).

Junqueira havia contraído covid-19 em abril e esteve internado alguns dias na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Municipal de Marabá, mas foi transferido para outra UTI, a do Hospital Regional Público do Sudeste no dia 22 de abril.

Ele era militar da Aeronáutica, no Goiás, e quando deu baixa da corporação, comprou avião de pequeno porte, montou uma empresa e veio atuar na Amazônia, mais especificamente em Marabá, onde o Projeto Grande Carajás estava em fase de implantação e havia indícios de que a região teria grande crescimento. “Ele foi atraído por esse cenário favorável e veio para esta cidade, onde conquistou o mercado com a JUTA. Por muitos anos, foi o piloto mais requisitado desta região”, recorda o jornalista Mascarenhas Carvalho da Luz, amigo pessoal do Comandante Junqueira.

Ainda segundo Carvalho, na década de 1970, a JUTA fazia fretes apenas para fazendeiros e Funai, mas alçou voos mais altos durante o garimpo de Serra Pelada, na década de 1980, realizando várias viagens diárias para a pista daquele garimpo, onde muitos homens ficaram milionários e viajavam de avião como se fosse um táxi convencional. “Creio que ele (Junqueira) foi o primeiro empresário deste segmento com residência fixa em Marabá, tornando-se um pioneiro, com hangar e oficina próprios para manutenção de suas aeronaves e de terceiros. Antes, os aviões faziam manutenção em Goiânia, mas foi ele quem trouxe esse serviço para o Aeroporto de Marabá, chegando a ter seis ou sete aeronaves próprias”, recorda Mascarenhas.

Ele lembra, ainda, que Comandante Junqueira tinha outros três irmãos, os quais também atuavam nesse mesmo ramo.

Comandante Junqueira teve atuação destacada, também, na Maçonaria, tendo sido Venerável Mestre presidente da Loja Maçônica Pioneira da Transamazônica, no Bairro Novo Horizonte, além de destacado gestor do Rotary Club de Marabá, com um trabalho relevante desde 1979, ajudando a fundar aquela instituição no município.

Ele deixa viúva a esposa Viviane e órfãos quatro filhos e três netos. Após o anúncio do falecimento do comandante Junqueira, várias personalidades e entidades de Marabá publicaram notas de pesar.

Comandante Junqueira e esposa Viviane em evento social de Marabá há poucos anos

Veja o que diz a nota do Rotary Club: “Infelizmente, perdemos o Comandante Antonio Carlos Junqueira, nosso companheiro no Rotary Club de Marabá, um exemplar rotariano por 42 anos, ex-presidente, Companheiro Paul Harris e Fundador do Banco de Cadeira de Rodas em Marabá.

O Rotary perde uma pessoa fantástica, nosso comandante salvou inúmeras vidas nos céus da Amazônia com a JUTA Táxi Aéreo”.

Ulisses Pompeu e Patrick Roberto – Correio de Carajás

Deo Martins