Em Tucuruí, homem não aceita fim de relacionamento e mata mulher

 Em Tucuruí, homem não aceita fim de relacionamento e mata mulher

Renan (ao fundo) e Vanessa pareciam formar um casal feliz/Fotos: Divulgação

Um pedaço de madeira e a alça de uma bolsa foram as armas utilizadas por Renan Pontes Vilhena para tirar a vida de sua esposa na tarde terça-feira (4). Dissimulado, o acusado registrou Boletim de Ocorrência, acompanhou as buscas e informou aos familiares de que sua mulher Vanessa Cristina Pinto Pinheiro estava desaparecida. A delegada plantonista Rosinara de Abreu trabalha no inquérito que investiga o crime de feminicídio. Ele foi preso no início da noite de quinta-feira (6), em Tucuruí, onde tudo aconteceu.

O corpo de Vanessa foi encontrado na manhã de quinta-feira (6) em um terreno próximo ao Cartório Eleitoral, no Bairro Buriti. A mulher estava vestida e com pertences pessoais, como documento de identidade, aparelho celular e bolsa. Diante do cenário, a equipe de peritos constatou que a vítima foi morta a pauladas.

Vítima deixa uma filha de 6 anos órfã de mãe. Polícia investiga o caso.

Depois de interrogado, o marido confessou também que usou a alça da bolsa dela para concluir o crime. Antes, ela foi espancada a murros e pontapés. “Esses detalhes serão confirmados pelos exames específicos”, observou a delegada.

De acordo com a investigação, Vanessa foi morta por volta de 16h de terça-feira. “Imagem de uma câmera de vigilância mostra os dois em uma motocicleta. E o último contato telefônico efetuado por ela mostra esse horário de 16h”.

Percebemos que se tratava de um delito cometido no contexto de raiva e fúria, típica de violência doméstica. Além disso, desde o princípio o autor do crime veio registrar o desaparecimento da vítima e acompanhou a nossas investigações iniciais a respeito da localização dela, o que nos surpreendeu muito”, explica a delegada responsável pelo inquérito policial.

A motivação do crime

O fim de relacionamento de 8 anos é a motivação do crime. Vanessa havia pedido a separação conjugal, o que Renan não aceitava. Na tarde do fatídico, os dois se encontraram em frente ao Posto de Saúde do Bairro São Francisco, houve uma discussão entre os dois e ela foi convencida a sair com ele na motocicleta até o local do crime.

A vítima deixa uma filha órfã de 6 anos de idade. Enquanto Renan teve a prisão decretada pela Justiça de Tucuruí e responderá, inicialmente, pelo crime de feminicídio. Ele foi preso na casa de familiares.

Antônio Barroso/freelancer – Correio de Carajás

Deo Martins