Em dois dias, cerca de 350 pessoas visitaram Fotomemória na FAP

 Em dois dias, cerca de 350 pessoas visitaram Fotomemória na FAP

Curiosa, emocionante e tudo muito bem feito. Amei tudo”. Foi com toda essa empolgação que a estudante Kerla Regina Oliveira avaliou a Exposição Fotomemória levada pela prefeitura à Feira Agropecuária de Parauapebas (FAP), para que os visitantes mergulhem na história do município.

Planejada pela Secretaria Municipal de Cultura (Secult), a exposição usa fotos vencedoras em oito categorias no concurso Prêmio Fotomemórias 2021, para que os visitantes possam viajar no tempo. E o público tem amado. Em apenas dois dias de FAP – no domingo e na segunda-feira -, cerca 350 pessoas já haviam visitado o estande.

A Fotomemória é apenas um dos produtos, serviços e ações da prefeitura apresentados na FAP, para que o público conheça um pouco do que é produzido e realizado pelo governo municipal, por meio das secretarias.

Assim como o estande da Secult, o da Secretaria de Produção Rural (Sempror) também chama atenção. Ali, os visitantes podem adquirir produtos, saber as novidades para a produção rural e ainda provar as delícias da agricultura familiar.

No estande do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (Saaep), são mostradas as ações da autarquia, entre as quais a de recolhimento de óleo de cozinha, que resulta na produção de sabão por entidades cadastradas pelo órgão. Um projeto de sustentabilidade, que tende a se expandir pelo Saaep.

Com incentivo da Secretaria de Desenvolvimento (Seden), mais uma vez os moveleiros de Parauapebas expõem móveis de madeira para venda, atraindo atenção de quem se interessa por uma bela decoração. Na FAP, os visitantes ainda podem conhecer as ações de outras secretarias, como as da Juventude (Sejuv) e de Mineração, Energia, Ciência e Tecnologia (Semmect).

Biojoias, artesanato e som de barzinho

Os estandes da Secult e da Seden são também uma ótima opção para quem não resiste às biojoias e aos artesanatos, inclusive os da cultura Xikrin produzidos por indígenas convidados para expor suas peças na feira. “Tem preços bons aqui e dá vontade de levar tudo pra casa”, disse Lúcia Aguiar.

Na noite de segunda-feira, 5, o público ainda teve oportunidade de se embalar ao chamado “som de barzinho” da dupla Grijó e Felipe de Judah. A FAP segue esta terça-feira, 6, com as exposições e o show do Zé Felipe.

Texto: Hanny Amoras – Fotos: Hanny Amoras e Piedade Ferreira – Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP

Deo Martins