Eliene e Miquinha sugerem implantação de programa para cultivo de hortas em escolas municipais

 Eliene e Miquinha sugerem implantação de programa para cultivo de hortas em escolas municipais

Na sessão da Câmara Municipal de Parauapebas de quarta-feira (8), os vereadores Eliene Soares (MDB) e Israel Miquinha (PT) apresentaram a Indicação nº 570/2021, na qual sugerem a realização de estudo para analisar a possibilidade de implantar um programa que aprimore o cultivo de horta nas escolas da rede pública municipal.

Na justificativa do pedido, os parlamentares argumentam que em tempos nos quais os recursos para promover o aprendizado vêm se concentrando prioritariamente em tecnologias multimídias, uma horta pode ser um laboratório vivo para diferentes atividades didáticas. E defendem que é preciso criar estratégias agroecológicas focadas na saúde e no bem-estar da comunidade.

A implantação do programa para cultivo de hortas nas escolas é vista pelos legisladores como uma maneira de agregar saberes e conhecimentos interdisciplinares, além de gerar economia ao erário.

A medida tem potencial de transmitir às crianças e jovens a importância dos alimentos produzidos sem produtos químicos e agrotóxicos, além de repassar o trabalho coletivo para estimular o desenvolvimento do relacionamento interpessoal e tornar nossos alunos multiplicadores dessas práticas em casa e na sociedade”, enfatizam Eliene e Miquinha.

Benefícios

No texto da proposição, os vereadores citam os benefícios que o programa de cultivo de hortas pode gerar:

Tornar próximos do dia a dia do aluno temas normalmente estudados teoricamente, como uso e conservação do solo, erosão, assoreamento, adubação e agrotóxicos;
Motivar os alunos para que se interessem por conhecer os tipos de alimentos, sua composição e as principais fontes de proteína, vitaminas e sais minerais;
Estimular o desenvolvimento de hábitos saudáveis em relação ao consumo de verduras e legumes e debater medidas de manejo de pragas que surgirem na horta;
Auxiliar os estudantes no aprendizado interdisciplinar, a partir da discussão de temas como alimentação, biologia, ecologia e até mesmo matemática, mediante cálculos para medir a largura e o comprimento da área onde a horta será plantada;
Estabelecer espaço democrático, fruto de trabalho conjunto que possibilite interação entre pessoa e meio ambiente e pessoa e pessoa, estimulando o exercício da cidadania e a interação entre as disciplinas na construção de um trabalho interdisciplinar;
E economizar recursos públicos na licitação de insumos da merenda escolar, já que uma parte dos itens pode ser produzida e colhida nas próprias escolas.
De acordo com os parlamentares, se bem implementada e cuidada, estima-se que 30 hortas escolares de médio porte (a exemplo da que existe na Escola Jorge Amado, na APA do Gelado) tenham potencial para gerar durante um ano cerca de meia tonelada de alimentos (alface, coentro, pepino, cebola, cenoura, entre outros).

Aprovação

A Indicação nº 570/2021 foi aprovada e será enviada para análise do prefeito Darci Lermen. Como a sugestão é para que a Secretaria Municipal de Produção Rural (Sempror) dê suporte técnico à Secretaria Municipal de Educação (Semed) na execução do programa, a proposição também será enviada para os gestores destas pastas.

Texto: Nayara Cristina / Revisão: Waldyr Silva / Fotos: Felipe Borges / AscomLeg 2021

Deo Martins