nformações sobre o convívio seguro com a ferrovia são repassadas de forma lúdica para as crianças durante a Caravana nos Trilhos

A Estrada de Ferro Carajás percorre 28 cidades entre os estados do Pará e Maranhão e ao longo desse trajeto tem cerca de 300 comunidades como vizinhas, o que exige da empresa um amplo trabalho de comunicação voltado a promover uma convivência segura dessas pessoas com a ferrovia.
Há dois anos, a fim de ir além das campanhas de rádio, reuniões e blitzen regularmente realizadas, a Vale iniciou o projeto “Caravana Nos Trilhos“, concebido para a aumentar o nível de engajamento das pessoas em relação à segurança e contribuir para melhorar a renda das comunidades vizinhas.
Este ano, Parauapebas, Bom Jesus do Tocantins e Marabá estiveram no roteiro da programação do projeto no Pará. No período de julho a setembro, foram ao todo nove comunidades, totalizando 2.660 atendimentos. O encerramento das ações desse ano foi na Escola Municipal José Flávio, no bairro Araguaia, em Marabá, com 820 participantes no último sábado, 14/9. Na programação, informações sobre cuidados com a saúde, convívio seguro com a ferrovia, oficinas sustentáveis, além de atividades de lazer e de recreação para a garotada.
Para a presidente da Associação de Moradores do Araguaia, Laureni Victorino, o projeto é um incentivo para os moradores do bairro Araguaia. “Já é a terceira ação da caravana aqui em Marabá. A gente se sente mais segura aqui na comunidade. Eu era muito preocupada com a situação das nossas crianças na ferrovia, mas hoje, depois das ações que a empresa promoveu aqui na nossa comunidade, a gente não vê mais a presença de crianças próximas a ferrovia, soltando pipa e até mesmo apedrejando o trem como já aconteceu“, constata.

Oficinas também são realizadas durante a programação

Para o gerente de manutenção da Estrada de Ferro Carajás, Francisco Vicente, o projeto Caravana nos Trilhos é um momento importante de sensibilização da comunidade sobre segurança. “Nós valorizamos esse momento com a comunidade, pois é nele que nós temos mais uma oportunidade para reforçar a importância de uma convivência segura com a ferrovia. Por que na ferrovia também há regras de trânsito e a gente precisa obedecer, utilizando as passagens oficiais, como viadutos e as passagens em nível. É importante também, quando cruzar a ferrovia na passagem oficial, nós devemos parar, olhar e escutar. Dessa forma garantimos uma passagem segura na ferrovia“, reforça.
Além de segurança, a caravana traz também oportunidade de geração de renda com as oficinas sustentáveis. Nesta edição, o público pode conferir as oficinas de produção de porta saco com garrafa pet, produção de tiara de nó de tecido e a oficina de produção de sabão a partir do reaproveitamento de óleo. Outra atração foram os óculos de realidade virtual que mostraram como funciona uma locomotiva e o trem de transporte de minério.
Em 2018, a Caravana Nos Trilhos contou com 18.490 participantes, em 41 comunidades ao longo da linha férrea. Desde que foi iniciado em 2017, o projeto já alcançou 37.400 pessoas. Além da Caravana Nos Trilhos, a Vale promove campanhas regulares em datas como Carnaval, férias, festejos juninos e fim de ano e divulga regularmente mensagens em rádio e redes sociais. Pelo Alô Ferrovias, as pessoas também podem informar sobre situações específicas de risco. O telefone é o 0800 285 7000 e funciona 24h por dia, todos os dias da semana.
Segurança e mobilidade andam juntas
No que se refere a garantir a mobilidade das pessoas, a empresa mantém atualmente na Estrada de Ferro Carajás (EFC) um total de 127 passagens inferiores, 83 passagens em nível, 09 passarelas e 60 viadutos distribuídos ao longo da via.

Comentários do Facebook