“Maestro” foi capturado por uma ação conjunta da polícia de três Estados, que seguia no seu encalço

Exatamente sete dias depois de dois assaltantes terem roubado a arma de um policial civil durante assalto em uma loja de celulares, em Marabá, um dos acusados foi preso, mas ele já estava longe: em Uberlândia, Minas Gerais. Trata-se de Martins Vinícius Silva Nascimento, conhecido como “Maestro”. E engana-se quem pensa que “Maestro” é novato no mundo do crime. A prisão dele foi motivada já por outros crimes que ele cometeu na cidade de Parauapebas. O roubo da arma do investigador foi apenas mais um ato regido pelo “Maestro” do crime.De acordo com o delegado Thiago Carneiro Rodrigues, o preso será recambiado primeiro para a cidade de Parauapebas nos próximos dias, onde havia os mandados de prisão preventiva em aberto pelos crimes de homicídio e tráfico de drogas. Mas depois virá a Marabá, para prestar depoimento sobre o assalto ocorrido em uma loja de celulares na Rodoviária da Folha 32, na Nova Marabá.
A prisão dele se deu graças a uma ação conjunta entre a Polícia Civil do Pará, por meio do NIP, do NAI Marabá, da Superintendência da 10ª RISP e da Seccional de Marabá; a Polícia Militar de Goiás, por meio do Comando de Operações de Divisas – COD; a Polícia Militar de Minas Gerais e a Polícia Rodoviária Federal (PRF)
Ao tomar conhecimento de que estava sendo procurado, “Maestro” empreendeu fuga de Marabá, objetivando se furtar à ação da lei penal. Contudo, mediante troca de informações entre as forças de segurança, “Maestro” foi preso quando se deslocava dentro de um ônibus.
Segundo o delegado Thiago Carneiro Rodrigues, “Maestro”, que era foragido desde meados do ano de 2018, exerce função de liderança em uma organização criminosa de origem paulista com forte atuação na região do sudeste paraense, na qual é responsável pelo setor denominado “paiol”, ou seja, detém o controle sobre as armas de fogo pertencentes à facção criminosa.

Delegado Thiago explica como se deu a operação policial que resultou na prisão/ Foto: Evangelista Rocha

O próximo passo da polícia é identificar e prender o comparsa de “Maestro” no roubo da pistola ocorrido no dia 22 deste mês, na rodoviária da Folha 32 (Nova Marabá). A pistola já havia sido recuperada no sábado passado. “Ela (a pistola) estava enterrada no Residencial Tiradentes (Núcleo São Félix), onde foi preso um indivíduo por tráfico de drogas, corrupção de menores e receptação”, disse o delegado.
Foi através desse indivíduo que a polícia conseguiu rastrear e chegar até “Maestro”. O assalto que ele praticou com um comparsa ainda foragido foi todo filmado e as imagens ganharam repercussão nas redes sociais.
Chagas Filho – Correio de Carajás