A cocaína estava escondida em uma chácara na zona rural, comunidade estrada de pneu azul – foto Ascom PCPA

A Polícia Civil do Pará, através da Superintendência da Região Metropolitana e Seccional de Mosqueiro, realizou, neste domingo (16), a maior apreensão de cocaína já feita pela instituição. Aproximadamente 1 tonelada da droga foi apreendida no distrito de Mosqueiro, na Região Metropolitana de Belém, como resultado da Operação “Narco II”. Duas pessoas foram presas. O governador do Pará, Helder Barbalho, parabenizou a atuação da PC-PA.
A operação foi deflagrada na tarde deste domingo, após investigações que começaram em outubro do ano passado. Além da droga, foram apreendidos uma embarcação, um automóvel e vários celulares. A “Narco II” contou com a atuação de 12 policiais civis, que localizaram a droga escondida em uma chácara na zona rural, comunidade Estrada de Pneu Azul, cerca de 20 km da sede de Mosqueiro.
Para o delegado geral da Polícia Civil, Alberto Teixeira, a repercussão da operação será significativa para a diminuição do crime na região, já que trata-se de um golpe duríssimo no tráfico de drogas no nosso Estado. “As repercussões dessa apreensão são sem precedentes, já que sabemos que o tráfico agrega uma série de outros crimes, de homicídio e roubo até delitos menores que o dependente químico comete para manter o vício. Outro ponto muito importante é essa apreensão ocorrer neste período de Carnaval, onde as pessoas tendem a utilizar mais drogas e isso acaba gerando criminalidade” – Alberto Teixeira, delegado geral da Polícia Civil.

Investigações que resultaram na apreensão da droga começaram em outubro de 2019

Antes da operação deste domingo, a maior quantidade de cocaína apreendida pelo órgão foi em 2017, na região do Marajó, onde 270 kg da droga foram localizados. Ainda neste mês, no último dia 9, a Polícia Militar apreendeu 1 tonelada de maconha no município de Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, em uma interceptação após informações captadas pelas forças de inteligência do Estado, por meio da Secretaria Adjunta de Inteligência e Análise Criminal (Siac), vinculada à Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup).
Fonte: Ascom Polícia Civil