Cleyton teve o flagrante convertido em prisão preventiva. Ele nega tudo (Foto: Rede Social)

Menos de uma semana depois do escabroso episódio de uma criança que foi violentada sexualmente e morta pelo próprio padrasto, mais um bebê inocente foi vítima de violência semelhante. Desta vez, o “anjinho” tem apenas 14 dias de nascido. Trata-se da pequena Maria Vitória Ribeiro França, que deu entrada domingo (12), no Instituto Médico Legal (IML) de Marabá, vinda da cidade de Santana do Araguaia. O principal acusado do crime é o pai dela, identificado como Cleyton Ramos França, que teve o flagrante por estupro de vulnerável homologado e convertido em prisão preventiva pela Justiça de Santana do Araguaia ontem (13).
O caso se deu no sábado (11), quando os pais da vítima chegaram com o bebê no hospital de Santana, em busca de atendimento, pouco tempo depois a criança morreu vítima de insuficiência respiratória. Foi justamente no momento em que as enfermeiras foram limpar o corpo da criancinha que elas perceberam que havia sinais de violência sexual. Diante disso, o médico que estava de plantão acionou a polícia que deteve o pai imediatamente.
O corpo da vítima foi então encaminhado para o IML de Marabá, devidamente acompanhado de duas conselheiras tutelares e agentes funerários credenciados. Eles foram procurados pela equipe de reportagem, ontem de manhã, mas não quiseram conversar sobre o caso.
Por telefone, o delegado Luiz Antônio Ferreira, superintendente da 13ª RISP – Regional Integrada de Segurança Pública – confirmou apenas que o suspeito recebeu voz de prisão, mas que estava negando a autoria do crime. O delegado também não forneceu a identificação do suspeito e disse que havia apenas um laudo preliminar do hospital de Santana que indicava o abuso sexual, mas que necessitava de laudo conclusivo do IML, até mesmo para passar mais informações sobre o caso.
Por outro lado, a equipe de reportagem correu atrás de outras fontes e teve acesso à decisão interlocutória sobre a prisão em flagrante do suspeito, assinada pelo juiz Erichson Alves Pinto, da Comarca de Santana. Ele converteu o flagrante em prisão preventiva, “em face da necessidade de garantir a ordem pública e assegurar a aplicação da lei penal”.
O magistrado explicou ainda que deixou de realizar a audiência de custódia de Cleyton França por ausência de segurança necessária. Ele também determinou a transferência do preso para o presídio mais próximo, o de Redenção, ou, se for a hipótese, para uma das casas penais da Região Metropolitana de Belém.
Quanto à mãe da criança, o que se sabe é que, embora ela estivesse em casa, a mulher ainda estava se recuperando do parto, de modo que a criança estava aos cuidados do pai. Por outro lado, a equipe de reportagem teve acesso ao perfil de Cleyton em uma rede social. Em uma das fotos dele chama atenção os dizeres: “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”.
Reportagem: Chagas Filho – Correio de Carajás