Foram presos na manhã desta quarta-feira (29) os policiais militares Wellington Brendo Costa de Lima e Gildson da Conceição Viana Rios. Eles estavam de serviço junto com cabo Antar Nazareno Duarte da Rosa, de 32 anos, acusado de estuprar uma adolescente de 16 anos em Eldorado do Carajás, na madrugada do dia 19 deste mês, um domingo.
As prisões foram requeridas pelo promotor de Justiça Militar, Armando Brasil, no último dia 24. Na manhã desta quarta, o comandante do 23° Batalhão da Polícia Militar de Parauapebas, o tenente-coronel Gledson Melo dos Santos, confirmou as prisões em conversa com a equipe de reportagem.
Na semana passada o promotor pediu a prisão dos outros policiais que estavam na guarnição, ontem (terça) o juiz decretou”, disse, acrescentando que no caso é um fato isolado que envolveu uma guarnição da Polícia Militar. “O responsável da PM de Eldorado do Carajás me informou que havia elementos para o flagrante, me desloquei para Eldorado. Realmente tinha elementos, o flagrante foi feito, encaminhado à Justiça Militar e o juiz decretou a prisão preventiva do flagranteado”, detalhou.
Por fim, Gledson defende que a Polícia Militar não compactua com qualquer crime. “Os policiais estão presos, vão responder a processo administrativo para decidir da permanência deles ou não na instituição”, finalizou.
Não foram divulgadas até o momento quais acusações pesam contra os soldados Wellington Brendo Costa de Lima e Gildson da Conceição Viana Rios e a Justiça Militar decretou segredo de justiça no processo.
No último dia 21, o juiz Lucas do Carmo de Jesus converteu em preventiva a prisão em flagrante do cabo Antar. Ele foi preso na manhã do dia 19, após a família da vítima acionar a Polícia Civil. Como o suposto crime ocorreu enquanto o cabo estava em serviço, o caso foi transferido da Justiça Comum para a Militar. Antar responde também pelo crime de prevaricação.
A denúncia aponta que por volta das 2 horas do domingo a vítima saiu de uma pizzaria na garupa da motocicleta conduzida pelo namorado, com quem mora. Quando o casal passou por um posto de combustíveis recebeu ordem de parada, mas o namorado não obedeceu e ambos foram alcançados pela guarnição pouco depois.
A adolescente relata que três policiais começaram a agredir o jovem piloto, o algemaram e o colocaram na carroceria da viatura. Mandaram, então, a adolescente entrar no veículo e o casal foi levado para a delegacia. O companheiro da vítima permaneceu detido e os policiais a levaram para casa, na viatura.
Ela relata que já na viatura o cabo começou a beijá-la e chegando na residência entrou com ela. O estupro, afirma, ocorreu dentro da casa enquanto os colegas de Antar saíram do local, retornando um tempo depois para pegar o cabo. A equipe de reportagem não localizou a defesa dos policiais militares.
Theiza Cristhine e Luciana Marschall – Correio de Carajás