Everton Queiroz de Aquino cobra investigação apurada das circunstâncias da morte

O pai de Emanuelly dos Santos Aquino, Everton Queiroz de Aquino, compareceu na 20ª Seccional de Polícia Civil de Parauapebas nesta terça-feira (8) para acompanhar o andamento das investigações sobre o caso da criança de 3 anos encontrada morta no domingo (6), no Balneário Zé de Areia, na Faruk Salmen. Na declaração de óbito consta asfixia mecânica por afogamento como a causa da morte.
Para Everton, houve negligência da mãe da menina, Jacilene dos Santos Oliveira, e do namorado dela, Erisvan de Almeida. No depoimento à polícia, o pai narrou que uma testemunha viu quando o Erisvan teria dito: “Vem que eu te pego, pode vir que eu te pego” para a criança, de dentro da água.
Everton acredita, ainda, que a versão dada pela mãe sobre um possível sequestro da filha seria uma forma de tentar encobrir o que de fato teria acontecido com a menina. “Eu queria tanto a guarda dela e nunca me deram, foi sofrida a vida dela”, desabafou.
A equipe de reportagem procurou Erisvan para se posicionar sobre as acusações, mas ele se limitou a dizer que estava trabalhando e que não é casado com a mãe da menina, afirmando que os dois apenas “ficavam”.
Entenda
O desaparecimento da criança ocorreu por volta das 14h30, no balneário, local onde estava acompanhada da mãe, Jacilene Jacy, e o do padrasto, Erisvan de Almeida. A princípio, a informação compartilhada nas redes sociais foi de um suposto sequestro.
Theíza Cristhine e Ronaldo Modesto – Correio de Carajás