Divulgaçāo

Uma adolescente de 13 anos morreu durante um parto prematuro ocorrido na última quarta-feira (11) na cidade de Coari, no interior do Amazonas. O bebê sobreviveu e é fruto de estupro onde o abusador é o próprio pai da garota.
Segundo a polícia, a vítima era violentada há pelo menos três anos na casa onde morava com os pais em uma pequena comunidade. Familiares contam que já desconfiavam dos abusos porque o pai, de 36 anos, fazia questão de andar 24h com a filha que parecia sempre amedrontada.
Com o consentimento da mãe, ele a levava para pescaria, caças na mata e qualquer outra atividade que fosse realizar sozinho. Assim que a menina apareceu grávida, contou a alguns parente sobre o estupro, mas a mãe negava e tentou abafar o assunto.
Durante os cinco meses de gestação, a menor não fez nenhuma consulta pré-natal e apresentava um quadro de saúde bastante delicado. Ela sofria de cirrose, anemia profunda e ainda tinha derrame pleural (água no pulmão).
Após passar mal, ela foi levada para o hospital da cidade, onde precisou ser submetida ao parto de emergência, mas não resistiu e veio à óbito. Assim que a polícia foi acionada e os pais souberam que os estupros viera, à tona, a própria mãe da menina ajudou o suspeito a fugir do município.
Ao ser questionada sobre a situação, a mulher ainda declarou que a culpa de tudo era da própria filha que se insinuava para o pai. Ela afirmou ainda que não acredita que o marido tenha cometido os abusos. O homem está sendo procurado e a mãe também deve ser indiciada pelos abusos.
Reportagem: DOL Com informações de Portal do Holanda

Comentários do Facebook