Foi divulgada nesta sexta-feira, dia 19, no Diário Oficial da União (DOU), a concorrência para escolher da construtora que vai tocar a obra do campus da Universidade do Estado do Pará (Uepa) em Parauapebas. A medida é histórica e vinha sendo aguardada há 12 anos, desde a primeira vez em que, no último ano de seu primeiro mandato, em 2008, o prefeito Darci Lermen foi a Belém tentar trazer um campus da estadual à capital do minério.
As propostas comerciais para seleção da empresa construtora vão ser apreciadas no dia 21 de outubro. O campus será erguido por etapas, e a licitação de agora, de número 3/2020-008, organizada pela Secretaria Municipal de Obras (Semob), é referente à primeira parte. A área total é 4.554,57 metros quadrados e os recursos previstos para a obra são R$ 18.321.480,88, montante custeado pela mineradora multinacional Vale.
Em 2021, mesmo sem que o prédio esteja pronto, a Uepa pretende iniciar no município aulas de cursos presenciais de graduação e pós-graduação no Centro Universitário de Parauapebas (Ceup), provisoriamente. Estão previstas as graduações em Biologia (licenciatura), Matemática (licenciatura) e Engenharia de Software (bacharelado), bem como as especializações em Gestão Pública, Saúde Coletiva, Psicologia Educacional e Metodologias em Educação Básica, além dos mestrados em Ensino de Matemática e Ciências Ambientais.
Graduações em ciências biológicas, engenharia de software e matemática serão os novos cursos ofertados pela Uepa no polo de Parauapebas. O anúncio foi realizado esta semana, por representantes da instituição que visitaram o município e conheceram o terreno onde será construída a nova sede, ao lado do Campus da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra).
Dois mestrados foram confirmados para o município, em matemática, destinado a docentes da disciplina que atuem na cidade, e ciências ambientais. Segundo o diretor de extensão e interiorazação da Uepa, Osvando Alves, o edital será lançado ainda este mês, para que o processo seletivo ocorra até o final do mês de novembro e início de dezembro. A previsão é que aulas sejam iniciadas até março do próximo ano.
O polo da Uepa em Parauapebas irá contemplar a construção de um bloco com pavimento térreo e superior, com 19 salas de aulas, uma sala de estudos, seis salas de tutorial, três salas de cópias, duas lanchonetes, três laboratório de informática, uma sala multiuso, três laboratórios de Ciências Biológicas, chuveiro de emergência para atender os laboratórios, duas salas de armazenamentos para Ciências Biológicas, sala de esterilização para apoio de laboratório, três laboratório de Enfermagem, uma biblioteca provisória, um deposito de materiais de limpeza, três blocos de banheiros, uma sala de TI, quatro salas de coordenação de cursos, cinco setores administrativos, com área total de 4.554,57 m². O recurso está estimado em R$18.321.480,88, que serão custeados pela Vale.
O convênio celebrado entre a Prefeitura e a Vale para a construção do Campus da Uepa garante que 60% das vagas ofertadas sejam preenchidas por estudantes que tenham concluído o ensino médio em Parauapebas e região.
O projeto também foi uma solicitação do deputado Chamonzinho ao governador Helder Barbalho. Para o parlamentar, será muito importante ao município o polo regional de educação, uma vez que irá atender mais de 300 mil habitantes, oportunizando formação de mão de obra qualificada para os filhos de Parauapebas.
Reportagem: Theíza Cristhine e Rayane Pontes – Correio de Carajás