A PF cumpre 10 mandados de prisão preventiva e 4 de prisão temporária no Pará. | Polícia Federal

Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira, 12, a Operação Vassaium. Os agentes estão nas ruas desde as primeiras horas do dia para cumprimento de mandados de busca e apreensão. A operação investiga possíveis fraudes em licitações que envolvem a merenda escolar em 10 municípios do Pará entre os anos de 2010 e 2017.
A Vassaium é a segunda fase da Operação Carta de Foral, que mira uma suposta organização criminosa responsável por fraudar licitações e contratos públicos em 10 municípios paraenses. Além dos mandados de busca e apreensão, há 10 mandados de prisão preventiva e outras quatro de prisão temporária. Os mandados foram autorizados pela 4ª Vara da Justiça de Belém.
De acordo com nota oficial emitida pela Polícia Federal, os recursos públicos desviados seriam do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).
Informações extra-oficiais repassadas ao DOL dão conta de que o vice-governador do Pará, Lúcio Vale, seria um dos investigados, que à época dos fatos, entre 2010 e 2017, exercia mandato de deputado federal. Procurada, a assessoria do vice-governador, ainda não se pronunciou sobre o assunto.
NOTA OFICIAL
O Governo do Pará emitiu nota oficial sobre o assunto na Agência Pará de Notícias. Nela o governo afirma que “sobre a operação ocorrida pela manhã, o Governo do Estado do Pará esclarece que supostos fatos investigados teriam ocorrido entre 2010 e 2017, portanto antes do início do governo e sem relação com a vice-governadoria.
O Governo do Estado tem plena confiança no esclarecimento dos fatos e na Justiça.”
Reportagm: DOL