Em busca de transparência no sistema de controle das barragens da região, o vereador Luiz Castilho (Pros), presidente da Câmara Municipal de Parauapebas, convidou representantes de órgãos públicos municipais e federais para discutir alternativas que visem prevenir a população sobre eventual rompimento de barragens de rejeitos minerais instaladas no município. O tema foi amplamente discutido na tarde desta segunda-feira (4) no auditório Plenarinho da Câmara e apontadas várias sugestões para evitar desastres.
A reunião contou com as presenças dos vereadores Ivanaldo Braz (sem partido), José Pavão (MDB), Horácio Martins (PSD), Francisca Ciza (DEM), Maridé Gomes (PSC), Joel Alves (DEM), Zacarias Marques (sem partido), Joelma Leite (PSD), Rafael Ribeiro (MDB), João Assi (PV), Marcelo Parcerinho (PSC), além de Luiz Castilho.
Do lado de órgãos públicos, atenderam ao convite do presidente do Legislativo os secretários municipais João José Corrêa (Planejamento), Flávio Ribeiro Veras (Mineração) e Dion Leno Alves (Meio Ambiente); Jales Santos (Defesa Civil), representantes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), entre outros.
Antes de iniciar a reunião, assessores da presidência da Câmara Municipal entregaram a cada um dos presentes informações impressas relativas ao rompimento da barragem em Brumadinho (MG), quadro das barragens existentes no município de Parauapebas e desenhos de tipos de barragens.
Os debates em torno do assunto foram bastante abrangentes, como mobilização do maior número possível de órgãos e sociedade organizada em busca de informação a cerca da real situação de risco das barragens da Vale e de outras empresas instaladas no município; elaboração de plano de ação emergencial em caso de eventual desastre; preparar estrutura hospitalar, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e demais órgãos de segurança instalados em Parauapebas para eventual rompimento de barragens; fortalecimento do recém-criado Grupo de Trabalho da Prefeitura Municipal para buscar informações junto à Vale, órgãos estaduais e federais; agregar o movimento com municípios vizinhos como Curionópolis, Marabá e Canaã dos Carajás, detentores de barragens de rejeitos de mineração; instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar situação de eventual risco das barragens de responsabilidade da mineradora Vale; entre outros temas.
Parlamentares e demais representantes dos órgãos presentes ao encontro ficaram de se reunir novamente, em data a ser marcada, para deliberar sobre encaminhamentos a serem feitos a respeito das ações que pretendem fazer em busca de informações para prevenir a população de eventuais desastres provocados por barragens.
Texto: Waldyr Silva / Revisão: Nayara Cristina / Foto: Anderson Souza

Comentários do Facebook