De acordo com informações do portal UOL, o Banco Central estuda a possibilidade da estampa da cédula de 200 reais, ser o cachorro “vira-lata caramelo”. Segundo Carolina de Assis Barros, diretora de administração do Banco Central, depois da mobilização feita em redes sociais, a instituição estuda a ação relacionada ao tema como forma de combate aos maus-tratos.
Logo que foi feito o anúncio da nova cédula, vários internautas promoveram um abaixo-assinado online pedindo que o “vira-lata” caramelo fosse o personagem da nota de 200 reais. E o líder do Patriota na Câmara dos Deputados, deputado Fred Costa (MG), criou uma petição, que já tem 48 mil assinaturas.
Não descartamos a relevância do lobo-guará na história e na fauna brasileira, porém o cachorro vira-lata está mais relacionado ao cotidiano dos brasileiros e, além disso, é presente em todas as regiões do país“, diz a petição.

O deputado Fred Costa, é defensor dos direitos dos animais e diz que essa é a plataforma de seu mandato. Segundo ele, existem 40 milhões de animais abandonados no Brasil, na maioria, cães sem raça definida. Conhecidos por “vira-latas”, eles estão presentes em todas cidades do Brasil.
A nova cédula de 200 reais foi anunciada no dia 29 de julho junto com a informação de que o lobo-guará estamparia a nota – que não teve imagem divulgada e está em “fase final” de testes.
CAMPANHA
Com o lançamento da nova cédula, Costa viu uma oportunidade de estimular o debate sobre o abandono de animais.
As causas fundamentais do meu mandato são a defesa e o bem-estar dos animais. Dentro do que a gente defende enquanto política pública, existem três pilares para cães e gatos: castração, educação e adoção“, disse.
Ele reconhece a importância do lobo-guará para a fauna brasileira e o fato do animal estar em extinção. Porém, o parlamentar acredita que o “vira-lata” representa o Brasil em vários aspectos e deveria receber a atenção devida como maneira de estimular o debate sobre direito dos animais.
A inclusão do vira-lata caramelo na cédula é incentivo não só para a adoção, mas também para o controle da espécie. Pode representar uma nova fase para o bem-estar animal, visto que as notícias mais recentes são relacionadas aos sofrimentos deles“, diz a petição.
Da redação com informações do DOL