A Prefeitura de Parauapebas esclarece que é totalmente improcedente a informação divulgada nas redes sociais de que o Ministério Público encaminhou documento ao prefeito Darci Lermen e à Câmara Municipal, solicitando a suspensão do processo de terceirização do Hospital Geral de Parauapebas. 

O pedido, na realidade, teria partido de um grupo de funcionários do hospital para o MPE, que, ressalte-se, participou ativamente da audiência pública realizada pela prefeitura no dia 27 de março deste ano justamente para debater com toda a sociedade a proposta de repassar a administração do HGP para uma Organização Social, por meio de licitação.

É fato que a recomendação do Ministério Público é para que a prefeitura dê plena publicidade aos seus atos. Mas é fato também que o governo municipal tem democratizado os debates sobre os assuntos importantes para Parauapebas e que irão interferir diretamente no crescimento do município e na vida da população, como foi o caso do Plano Plurianual (PPA) 2018/2021, exaustivamente debatido em audiências públicas, da revisão do Plano Diretor, que ainda está sendo executada, e agora do Hospital Geral.

O processo de terceirização do HGP irá continuar com total transparência, portanto com todos os debates necessários para alcançar um único objetivo: melhorar o atendimento da saúde em Parauapebas, cujo hospital também recebe pacientes de Curionópolis, Canaã e Eldorado dos Carajás.

A prefeitura repudia os boatos que visam exclusivamente confundir a opinião pública sobre os atos e ações da administração municipal. E se mantém forte na condução dos trabalhos para o crescimento social e econômico de Parauapebas e de sua gente.

Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP

Comentários do Facebook