O governador Helder Barbalho (e) e o secretário Alberto Beltrame no Hospital de Campanha montado no Hangar

O Governo do Pará entregou, na tarde desta sexta-feira (10), o maior Hospital de Campanha já em funcionamento no Brasil. Localizado no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém, a unidade hospitalar de retaguarda tem 420 leitos, de baixa e média complexidade, e já está recebendo pacientes estáveis de Covid-19. Além da Região Metropolitana de Belém, o Hospital atenderá a demanda das regiões nordeste e Marajó Oriental.
Além da capital, o Governo está instalando Hospitais de Campanha em Santarém (no oeste), Marabá (no sudeste) e em Breves (no Marajó). Juntas, as unidades somam 720 leitos aos já existentes na rede pública de saúde do Estado. O governador Helder Barbalho ressaltou, no ato de entrega do Hospital de Campanha, que as novas vagas são destinadas a pacientes com sintomas leves ou moderados de Covid-19, que não necessitam de internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O Hospital de Campanha dispõe de 420 leitos de baixa e média complexidade, para receber pacientes estáveis

Esse hospital incrementa a rede hospitalar do Estado, disponibilizando mais 420 leitos, geridos pela Central de Regulação do Estado, que irá destinar pacientes positivos em Coronavírus, com quadro estabilizado e que não necessitem mais de atendimentos especiais” explicou o governador.
Estabilização – “Aqui também temos 24 leitos que são de estabilização. Na hipótese de algum paciente desenvolver piora do quadro clínico e começar a entrar em insuficiência respiratória, esses 24 leitos têm capacidade de realizar o atendimento. Se necessário, os pacientes podem ser entubados, colocados em ventilação mecânica e transportados em uma ambulância para um hospital de referência”, complementou o secretário de Estado de Saúde Pública, Alberto Beltrame.
O Governo do Estado ressalta que os hospitais de campanha não são prontos-socorros, por isso as pessoas não devem procurá-los diretamente em busca de atendimento. Quem apresentar sintomas muito leves ou moderados deve ficar em casa. Mas se os sintomas se agravarem, com falta de ar, por exemplo, deve procurar uma unidade de pronto-atendimento (UPA) ou pronto-socorro. Dependendo do estado de saúde dos pacientes, eles serão encaminhados para um hospital de referência, quando houver necessidade de internação em UTI.

Helder Barbalho e Alberto Beltrame voltaram a enfatizar a preocupação com o crescimento do número de casos no Pará

Além dos 420 leitos, o Hospital de Campanha de Belém conta com postos de enfermagem, áreas específicas para higienização dos profissionais de saúde, estrutura para embarque e desembarque de pacientes, área de recepção para os familiares e banheiros.
Para que a estratégia e todos os esforços que vêm sendo postos em prática pelo governo do Estado no enfrentamento à doença sejam eficazes, Alberto Beltrame novamente alertou para a necessidade da colaboração da população durante a pandemia, sobretudo quanto ao distanciamento social. “O número de casos está aumentando bastante. Já deu um salto ontem, e nós não queremos ter uma quantidade enorme de casos. Então, a mensagem essencial é: fique na sua casa. Só saia se for absolutamente necessário”, frisou o titular da Sespa.
Fonte: Leonardo Nunes SECOM/PA – Fotos: Bruni Cecim/Agência Pará