Para ajudar as comunidades indígenas das aldeias Ôodjã, Djudjekô, Kateté, Pokrô e Krimei no combate ao novo coronavírus, a Prefeitura de Parauapebas enviou, nesta quinta-feira (4), ajuda humanitária aos territórios indígenas, com a entrega e equipamentos de proteção individual (EPIs) para os profissionais de saúde que atuam nas aldeias, testes rápidos, produtos alimentícios e de prevenção ao povo Xikrin do Cateté.
De acordo com o Departamento de Relações Indígenas da prefeitura, esta é a segunda remessa enviada, que totaliza 480 cestas básicas e 500 testes rápidos para Covid-19, além de máscaras e álcool em gel 70% para todas as famílias que vivem nas aldeias, cerca de duas mil pessoas.
A Secretaria Municipal de Educação (Semed) também repassou 605 kits de alimentação escolar para as famílias dos alunos indígenas, no final de abril, e uma nova remessa deve ocorrer nos próximos dias. O envio de alimentação para as localidades é fundamental para evitar o deslocamento dos indígenas para as cidades e ajudá-los no isolamento social.
Estamos enfrentando uma guerra contra esse vírus em nossa cidade e, infelizmente, o povo indígena também já foi alcançado. Não estamos medindo esforços para ajudar nossa população nesse combate, tanto para quem mora na cidade quanto na zona rural ou nas aldeias. É a nossa gente, e nós estamos cuidando”, afirma o prefeito Darci Lermen, que autorizou a cessão de insumos de saúde para as aldeias.
Escolas em duas aldeias se transformarão provisoriamente nas Unidades de Atenção Primária Indígena da Covid-19, com estruturas de saúde que estão sendo montadas com o apoio do Exército Brasileiro. O objetivo é disponibilizar um atendimento rápido para quem apresentar os sintomas da doença. A prefeitura dará apoio com insumos e equipamentos para a realização desses atendimentos.
O atendimento de saúde aos povos indígenas é realizado pela Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), órgão do governo federal, mas o governo de Parauapebas sempre deu apoio em todas as ações desenvolvidas nas aldeias que estão na área de abrangência do município. Até a tarde desta quinta-feira foram registrados quatro óbitos de índios por Covid-19.
Texto: Karine Gomes – Fotos: Departamento de Relações Indígenas