Bancários do Banco da Amazônia devem iniciar uma greve a partir de amanhã (5), por tempo indeterminado, em todo o Estado do Pará. A categoria rejeitou a proposta apresentada pela diretoria do banco, em reunião realizada na última quinta-feira (30). A greve foi, então, aprovada em assembleia no dia seguinte. A Associação dos Empregados do Banco da Amazônia (AEBA) informou que irá pleitear uma última tentativa de negociação com a diretoria para se tentar chegar a um acordo.
Presidente da AEBA, Silvio Kanner, explicou que a categoria concordou com a proposta unificada apresentada pela Federação Nacional dos Bancos, a Fenaban, que, dentre outros pontos, prevê um reajuste salarial de 5%.
Porém, as negociações internas de campanha salarial com a diretoria do banco não avançaram, o que motivou a decisão pela greve. Segundo Kanner, a categoria entendeu que a proposta da instituição não contempla as reivindicações dos bancários. “Não contemplava nenhuma das nossas questões internas como plano de saúde, de participação nos lucros e plano de cargos e carreiras”, reforça.
Já as categorias bancárias do Banco do Estado do Pará (Banpará), Caixa Econômica Federal (CEF) e dos bancos privados aprovaram as propostas da Fenaban e de suas respectivas instituições em assembleia geral realizada na última quarta-feira (29), na sede do Sindicato dos Bancários do Pará. Somente o Banco do Brasil havia rejeitado a proposta. Mas no dia 30 a categoria reavaliou e resolveu aprovar a proposta da Fenaban e da diretoria do Banco do Brasil apresentadas em mesa de negociação.
A reportagem entrou em contato com a assessoria do Banco da Amazônia, mas nāo teve retorno.
Reportagem: Pryscila Soares – DOL

Comentários do Facebook