Foto: Plantão Redex

A chuva forte que caiu durante a tarde e a noite da última segunda-feira (26) em Redenção, provocou o rompimento de três represas em áreas privadas no município e, com isso, afetou 250 famílias em 12 bairros da cidade. Do total de famílias, 70 foram alojadas em um abrigo provisório montado pela Prefeitura do município na Creche Victor Gabriel.
Segundo o subtenente da Defesa Civil do Estado, Joel Silva, todas as pessoas foram resgatadas até às 2h da terça-feira (27). “O Corpo de Bombeiros foi acionado com as Defesas Civil Estadual e Municipal. Todos juntos em prol de salvar as famílias que estavam em cima de casas, agarradas em árvores. Tivemos que desligar a energia devido o risco de choque elétrico, mas conseguimos resgatar todos com vida”, contou.
De acordo com a Secretaria de Governo do Município, Renata Rocha, as primeiras ações realizadas foram a entrega de alimentos, água e colchões e atendimento médico e de assistência social. Também foram criados dois pontos de arrecadação de doações, um na Secretaria Municipal de Assistência Social e outro em uma emissora de televisão no bairro Ademar Guimarães.
Por solicitação do Governador Simão Jatene, coordenadores do Centro Regional de Governo do Sudeste do Pará e equipes do Governo juntamente com as defesas civil estadual e municipal e demais órgãos da prefeitura visitaram as áreas atingidas para definir as políticas públicas na área da assistência social.
Nesta quarta-feira, 28, as equipes de Governo Estadual voltam se reúnem na Sala de Situação, comandada pelas Defesas Civil do Estado e município, na Secretaria Municipal de Obras para atualizar o mapeamento dos bairros atingidos, definir ações nas áreas de cidadania, habitação, saúde e assistência social às famílias desalojadas.
De acordo com a secretária de Governo do Município, Renata Rocha, várias ações estão sendo feitas para ajudar as famílias foram montados dois pontos de arrecadação de doações: um na Secretaria de Assistência Social do município e numa emissora de televisão no bairro Ademar Guimarães.
O presidente da Defesa Civil no município, Wilker Muniz, esclareceu que as casas estão sendo avaliadas. “Já recebemos o mapeamento, no bairro Residencial Primavera, por exemplo, são sete casas que estão em área de risco. Nessa situação como é um empreendimento do governo federal, vamos notificar os órgãos necessários e esperar que eles tomem uma providência. Fiz um levantamento que concluiu que são necessárias 160 casas para atender famílias em pontos de risco, infelizmente o programa Minha Casa Minha Vida por um impedimento de um decreto, não pode atender, estamos aguardando”, ressaltou.
A enxurrada também trouxe prejuízos ao trafego. Uma cratera foi formada na BR-158 no trecho entre Redenção e Santana do Araguaia. Além disso, há risco de desmoronamento de uma ponte na BR-155 próxima ao município.
Próximos passos – O Major Felipe Galúcio, comandante do Corpo de Bombeiros na região, esclarece que é necessária a totalização dos dados para que seja preenchido o Sistema S2Id do Ministério da Integração, que vai dar viabilidade para que o governo federal homologue a situação de emergência que deve ser decretada pela Prefeitura.
O Corpo de Bombeiros tem a função de auxiliar a Defesa Civil local para compilar esses dados e poder preencher o sistema para dar prosseguimento a resposta. A preocupação agora é alertar a população que mora em área de risco para que, caso haja outra chuva forte, se retire do local para que não ocorra mais prejuízos”, explicou o Major que ressaltou ainda haver preocupação de novas fortes chuvas podendo elevar o volume de água ocasionando outros alagamentos.
Reportagem: Kelia Santos – Agência Pará

Comentários do Facebook