Cerca de 250 mil paraenses ainda não se regularizaram com a Justiça Eleitoral e têm uma última chance até a próxima quarta-feira (9). O prazo é para quem não conseguiu fazer seu recadastramento biométrico nos municípios em que a revisão era obrigatória e teve o título cancelado. Após esse prazo, os eleitores irregulares só poderão tirar um novo título em novembro, quando o cadastro reabrir, tendo que pagar multa pela não participação nos pleitos de 2018, além de perderem diversos direitos, como nomeações em concursos públicos.
Só em Belém, 161 mil pessoas ainda não se cadastraram. O coordenador de Logística de Eleições, Dilson Athias, esclarece que, para se regularizar basta comparecer a um dos postos de atendimento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em posse de um documento oficial (como RG ou carteira de habilitação) e um comprovante de residência.
Na capital paraense, a mesma estrutura de atendimento adotada durante o processo de revisão será mantida, com seis postos de atendimento por agendamento e outros três por comparecimento. No restante do Estado, todos os postos funcionam por ordem de comparecimento.
Até o momento, no entanto, a procura está bastante baixa e os postos voltaram a ficar vazios e ociosos, diferente de como estavam nos últimos dias do período de revisão”, explica o coordenador, orientando quem precisa se regularizar ou utilizar outros serviços eleitorais (como fazer atualizações cadastrais, transferências ou se alistar) a se adiantar para que evite transtornos nos dias finais do prazo. “Quem teve o título cancelado não paga multa para se regularizar, a não ser quem ainda está com alguma pendência de eleições anteriores”, esclarece Athias, pontuando, inclusive, que mesmo essas multas não estão sendo cobradas em Belém.
Sem a quitação eleitoral, o cidadão não poderá tirar passaporte, assumir cargo público ou pegar empréstimos em bancos públicos e ainda pode ter transtornos no recebimento de benefícios sociais, como a Bolsa Família, o Seguro Defeso, a aposentadoria, entre outros. Os agendamentos podem ser feitos pelo site do Tribunal Regional Eleitoral: http://www.tre-pa.jus.br.
Reportagem: Arthur Medeiros/Diário do Pará