Os exames de alta complexidade são fundamentais para o bom diagnóstico de doenças, mas eles têm um alto custo. O vereador João Assi, conhecido como João do Feijão (PV), revelou na sessão ordinária desta terça-feira (17) que o município não possui aparelho de ressonância magnética e de tomografia. Por isso, a administração municipal tem que contratar o serviço de clínicas particulares para a realização desses exames, o que onera grandemente os gastos com saúde e limita bastante o número de exames.
O vereador admitiu que a falta dos equipamentos tem ocasionado demora dos diagnósticos, e que a retirada do paciente do Hospital Geral de Parauapebas (HGP) para levá-lo a outro local para realização de exame desgasta ainda mais a saúde do paciente e pode ser a diferença entre a vida e a morte.Devido à necessidade dos equipamentos, João do Feijão apresentou a Indicação nº 334/2019, pedindo ao Poder Executivo a aquisição de aparelho de ressonância magnética e de tomografia.
É necessário e urgente que o município tenha os equipamentos e profissionais qualificados para manuseá-los no ambiente médico. Se esses equipamentos forem adquiridos e estejam em pleno funcionamento, toda população do município será amplamente beneficiada, uma vez que o corpo médico conseguirá fazer mais rapidamente e de forma mais segura os diagnósticos de doenças e lesões, e as pessoas ficarão menos tempo em busca de exames para tratamentos de doenças”, destacou o parlamentar.
Ao ser colocada para apreciação, a indicação foi aprovada pelos vereadores e agora será enviada ao prefeito e à Secretaria Municipal de Obras (Semob), para que promovam a análise financeira para execução do pedido.
Texto: Josiane Quintino / Revisão: Waldyr Silva / Foto: Kleyber de Souza (AscomLeg)

Comentários do Facebook