Às 19h18 deste domingo, com 94,44% das urnas apuradas, Jair Bolsonaro, do PSL, tinha 55,54% foi considerado matematicamente o presidente eleito do Brasil. Fernando Haddad, do PT, tinha 44,46%.
O capitão da reserva do Exército tem 63 anos e foi deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro durante 7 mandatos.
O TSE convocou uma entrevista coletiva para fazer um balanço da situação da votação em todo o Brasil.
De acordo com o boletim divulgado às 17h, das mais de 454 mil urnas eletrônicas no país, 4.333 precisaram ser substituídas. Elas representam 0,83% do total de urnas.
Em quatro seções eleitorais foi necessário recorrer à cédula de papel: uma no município de Apuí, no Amazonas; uma em Saubara, na Bahia; outra em Cordislândia, Minas Gerais; e uma em Magé, no Rio de Janeiro.
Ainda de acordo com o boletim, o TSE foram registradas registrou 396 ocorrências de crimes eleitorais.
Em 217 dessas ocorrências, cabos eleitorais foram presos.
Nenhum caso de crime eleitoral envolveu diretamente candidatos a governador ou presidente.
Minas Gerais teve o maior número de registros de crimes eleitorais: 54.
O dia de votação foi mais tranquilo no Amapá, onde ocorreu apenas uma ocorrência.
O TSE informou também que 19 eleitores brasileiros residentes no exterior vieram para o país e solicitaram voto em trânsito, pra votar aqui.
Mas esqueceram de fazer o cancelamento da inscrição para votar no país onde moram.
Por isso, a Justiça Eleitoral não permitiu que esses 19 eleitores pudessem votar.

Comentários do Facebook