Três candidatos são considerados de esquerda. O vereador de Belém, Fernando Carneiro (PSOL), que tem como candidata a vice a historiada e doula Tati Picanço, também do Psol de Santarém. Esta é a segunda vez que ele disputa o governo estadual. A primeira vez foi na eleição de 2010.
O ex-vereador de Belém, Cleber Rabelo, um dos dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil, será candidato do PSTU e terá como companheiro de chapa, Seu Alex, também integrante do sindicato. Rabelo também disputa a eleição para governo do Pará pela segunda vez.
O PT oficializou na manhã deste domingo, 5, a candidatura do senador Paulo Rocha como candidato a governador, tendo como parceria de chapa, a ex-deputada estadual Sandra Batista (PCdoB). Esta é a primeira vez que Paulo Rocha disputa o governo paraense.
Do outro lado, mais à direita, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual e médico, Márcio Miranda (DEM) foi o último a realizar a convenção para confirmar sua candidatura. Ele terá como vice o ex-deputado José Megale (PSDB). É a primeira vez que Márcio Miranda concorre ao governo estadual.
O outro candidato é o ex-prefeito de Ananindeua Helder Barbalho (MDB), que terá como vice o deputado federal Lúcio Vale (PR). Helder disputa o governo do Pará pela segunda vez. Em 2014, ele chegou a ir para o segundo turno, mas foi derrotado por Simão Jatene (PSDB).
Dos partidos que disputam as eleições 2018 no Pará, PT, PSDB e MDB já governaram o Estado. O PT governou o Estado do Pará com a arquiteta Ana Júlia Carepa (2007 a 2010). O MDB governou com Jader Barbalho em (1982 a 1986) e (1990 a 1994) e o advogado e jornalista Hélio Gueiros (1986).
Já o PSDB é o partido com mais tempo no comando da administração pública do Pará. Atualmente, o partido governa o Pará com o economista Simão Jatene, que encerra em dezembro seu terceiro mandato.
O primeiro foi (2003 a 2007). Voltou a governar de (2011 a 2014) e se reelegeu para mais um mandato de (2015 a 2018). Antes dele, o primeiro tucano a governar o Estado do Pará foi o médico Almir Gabriel (1995 a 1998), foi reeleito e governou de (1999 a 2002).
Fonte: Roma News

Comentários do Facebook