O vereador Ivanaldo Braz (PDT) foi reeleito o vereador mais votado de Parauapebas com 3.988 votos, nas eleições desse domingo 15, confirmando o que já apontava todas as pesquisas. O prefeito Darci Lermen também foi reeleito com 48,42% dos votos.
Ao comemorar a expressiva votação que obteve nestas eleições, Braz ressaltou o trabalho realizado por toda a equipe durante a campanha. “Só tenho a agradecer a toda a equipe que não mediu esforços ao defender nosso projeto para Parauapebas, vamos juntos continuar trabalhando para que nosso município seja cada dia melhor de se viver”.
Com extensa trajetória de ações em prol da comunidade parauapebense, Braz chega ao terceiro mandato com número recorde de voto. A cada mandato o parlamentar inovou sua maneira de trabalhar, ressaltando que a política deve ser feita com ética e trabalho para alcançar resultados positivos na melhoria da qualidade de vida de quem mais precisa do poder público.
O percentual de votos, que reconduziu o vereador Braz a Câmara Municipal de Parauapebas, corresponde a 3,21% dos votos válidos, sendo considerada a maior votação para vereador já registrada no município.

Biografia
Ivanaldo Braz Silva Simplício, 43 anos, filho de agricultores, casado com Maquivalda Aguiar Barros e pai da Helena. É formado em Administração, trabalhou como servidor público na Câmara Municipal e Prefeitura de Parauapebas, além de já ter sido operador de máquinas pesadas na mina de ferro de Carajás e “vanzeiro” de transporte coletivo na época das vans.
Infraestrutura, mobilidade urbana, habitação, são áreas de destaque na atuação do vereador Braz, que em seu segundo mandato, somou 107 proposições em tramitação na Câmara Municipal de Parauapebas.
Em 2015 foi premiado pela Revista do Bacana, como uma das personalidades políticas de destaque no Pará, durante sua gestão como presidente da Câmara Municipal de Parauapebas.
Braz ficou conhecido em todo o estado por apresentar uma gestão transparente, com redução de gastos e valorização dos servidores. Realizou a devolução história de quase 5 milhões de reais ao poder executivo.