Outros três homens foram presos na operação

Em Parauapebas, em operação realizada na madrugada e manhã de hoje, terça-feira, 11, pela Polícia Militar, contra o tráfico de drogas e o crime organizado, três suspeitos foram mortos durante confronto com a guarnição e outros três foram presos, entre eles, um foragido do Sistema Penal do Pará.
Os três homens que vierem a óbito estavam em uma casa na Vila Palmares II, zona rural de Parauapebas, e seriam integrantes da facção criminosa Primero Comando da Capital (PCC).
Segundo informações da polícia, a refrega ocorreu de madrugada. De acordo com o Major Wilson Moura, comandante do 23º Batalhão da Polícia Militar em Parauapebas, a guarnição recebeu informação que na localidade de Palmares II havia um grupo de criminosos que estava planeando ações na cidade, inclusive contra policiais e seus familiares.
Quando o efetivo chegou à casa citada, durante a madrugada, teria sido surpreendida por tiros dados pelos suspeitos. Houve o cerco e reação dos policiais. Na refrega, três suspeitos que estavam dentro da casa foram atingidos. Eles chegaram a ser socorridos, mas vieram a óbito. Dois deles foram identificados como Mauro da Silva Santos e Eder Borges. O terceiro ainda não tem identificação.
Os acusados eram conhecidos pelos apelidos de “De Belém”, “Menor” e “Scooby”. Segundo a polícia, Eder Borges seria o líder do PCC em Parauapebas. Na casa foram encontrados dois revólveres calibre 38 com munições, duas espingardas, 40 petecas de crack, uma balança de precisão, sete aparelhos celulares e uma porção de maconha.
No desdobramento da operação, informa o comandante, foram presos no Bairro Caetanópolis, área urbana de Parauapebas, mais três acusados, sendo um deles foragido do Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes (Crama), de Marabá.
Segundo a polícia, os acusados foram identificados como Frank Santos, Jesuele Freitas Barbosa e Leandro Miranda do Nascimento, foragido do Crama. Segundo a Polícia Militar, eles seriam envolvidos com tráfico de drogas no Bairro Novo Brasil, comercializando o entorpecente em uma área conhecida como Baixão.
De acordo com o delegado Felipe Oliveira, agora estão sendo feito os procedimentos para levantar a vida pregressa dos acusados que foram mortos e saber se eles realmente tinham envolvimento com facção criminosa. Ainda segundo o delegado, alguns familiares dos acusados já procuram a delegacia e agora será feito o reconhecido de cada um.
Alguns familiares vieram, mas como estavam sem documento, retornaram e vamos aguardar eles voltarem para fazer a qualificação completa de cada uma das vítimas”, informa Felipe Oliveira.
O delegado Gabriel Henrique destacou que os três presos foram autuados por tráfico, associação ao tráfico e um deles por favorecimento pessoal, que era o que dava guarita para o fugitivo do Crama. Ele informa que no levantamento feito da ficha criminal dos acusados, além do foragido do Crama, outro, Frank Santos, já é condenado na Comarca de Tucuruí por crime de furto qualificado. Ele estava em liberdade condicional.
Contra o terceiro acusado, autuado por favorecimento pessoal, ainda não tinham sido encontrado nada. “Nós ainda estamos verificando a situação dele”, frisa o delegado, informado que todos os acusados, incluindo os que morreram em confronto com a Polícia Militar, tinham base em Marabá.
Também estamos verificando para ver se os três presos tinham ligação com os que foram mortos”, completa o delegado.
Reportagem: Tina Santos – com informações de Ronaldo Modesto – Correio de Carajás

Comentários do Facebook