Os soldados Arthur Martins e Cosme Medeiros, foram presos na manhā desta quarta-feira /Foto: reprodução WhatsApp

Na manhā desta quarta-feira (24), a DECRIF – Delegacia de Crimes Funcionais, deu cumprimento ao mandado de prisão e busca e apreensão contra quatro pessoas em Parauapebas, dos quais, dois sāo policiais militares lotados no 23º Batalhão da Polícia Militar.
O tenente-coronel Sabá, presidente da Comissão da Corregedoria da Polícia Militar esteve presente na operação, junto com o Major Robert, no momento das prisões dos militares, no intuito de evitar algum tipo de reação dos policiais acusados na hora da prisāo.
Os soldados Cosme Neto Sousa Medeiros e Arthur Sampaio Pinheiro Martins, foram apresentados e ouvidos durante a manhã de hoje na 20ª Seccional Urbana de Parauapebas e depois encaminhados para fazer exame de corpo de delito, e, logo em seguida, seguiram para o quartel do 23º BPM, onde ficarão custodiados até amanhã, quinta-feira, (25), aguardando uma audiência de custódia, onde será decidido pelo juiz se eles irão responder ao processo em liberdade, ou seguirão presos para o presídio Coronel Anastácio das Neves, em Belém.
Marcelo Silva Cardoso, um outro acusado também foi preso e já está atrás das grades. Uma quarta pessoa acusada de envolvimento no crime, ainda não teve o nome divulgado, porque não foi presa, mas a polícia está em diligências para cumprir o mandado judicial.
Os quatro estão sendo acusados de homicídio, formação de bando, associação criminosa e lesão corporal.
Segundo o diretor da 20ª Seccional Urbana de Parauapebas, delegado Gabriel Henrique, os acusados estariam envolvidos na morte de um jovem e lesão corporal de outros, em um homicídio ocorrido em março deste ano, no bairro Montes Claros.
Na ocasião, um grupo de jovens estava reunidos no cemitério municipal e depois de um tempo, foram localizados no hospital.

Lucas foi encontrado morto, dois dias depois em uma área de mata. Foto: reprodução WhatsApp

Lucas Sampaio de Oliveira, de 18 anos, que estaria junto com os outros, só foi encontrado dois dias depois, morto a tiros, em uma área de mata, no bairro Montes Claros, em Parauapebas.
Em menos de um mês, seis policiais militares foram presos em Parauapebas, acusados de envolvimento em crimes.

Comentários do Facebook