Com cumprimento de mandados judiciais em Parauapebas e Canaã dos Carajás, no sudeste paraense, a Polícia Federal deflagrou nesta manhã, quarta-feira (4), a Operação Mensageiro. O objetivo é desarticular um grupo criminoso que tem invadido o sistema da Caixa Econômica Federal (CAIXA) para recebimento ilegal de Seguro Desemprego.
Ao todo, estão sendo cumpridos oito mandados de busca e apreensão, além de seis de prisão temporária e mais um afastamento cautelar da função pública, em sete municípios, por uma equipe de 40 agentes federais.
Os mandados foram expedidos pela 4ª Vara Federal de Palmas com alvos, além de Parauapebas e Canaã, em Palmas, Gurupi e Oliveira de Fátima, no Estado do Tocantins; Imperatriz, no Maranhão; e Brasília, no Distrito Federal.
De acordo com a Polícia Federal, os criminosos invadiam os sistemas e alteravam o endereço de cidadãos que estavam recebendo regularmente o benefício. Em seguida, solicitavam novo cartão do cidadão, encaminhado ao novo endereço cadastrado. A partir disso, era realizado recadastramento também da senha em casas lotéricas e o saque de uma parcela, impedindo que o titular do benefício.
Ainda segundo a instituição, as investigações apontam quase 12 mil endereços alterados, somando prejuízo de aproximadamente R$ 15 milhões ao Fundo de Amparo ao Trabalhador- FAT.
Caso comprovados os crimes, os investigados devem responder, na medida de suas participações, pelos crimes de associação criminosa, estelionato majorado, corrupção ativa e corrupção passiva, cujas penas somadas podem chegar a vinte e seis anos e meio de reclusão, informou a Polícia Federal
Em Parauapebas, uma equipe da Polícia Federal foi vista cumprindo mandado no Residencial Alto Bonito, mas ainda não foi divulgado se alguém foi preso no local, tampouco em Canaã dos Carajás. A operação foi batizada em alusão a uma das facetas da quadrilha, que cooptava o funcionário dos correios responsável pela entrega irregular dos cartões.
Fonte: Luciana Marschall – com informações de Polícia Federal e Tina Santos

Comentários do Facebook