Armas apreendidas com posseiros na área ocupada da fazenda/ Foto: Polícia Civil

Em um processo considerado um dos mais rápidos da área agrária do Estado, foi desocupada a fazenda Três Lagoas, invadida nesta terça-feira, 26, no município de Rondon do Pará, no sudeste do Estado. Ainda ontem foi deflagrada por volta das 6 horas da manhã a Operação “Lagos “, para cumprimento do mandado de reintegração de posse da fazenda.
Na operação, finalizada as 00h30 de hoje, quarta-feira, 27, foram apreendidas nove armas de fogo e 100 munições de diversos calibres. A operação resultou ainda nas prisões de José Ribamar de Oliveira, Welton Trindade de Sousa e Ednilson Paixão dos Santos, José Rodrigues de Sousa Neto, Adão Alves da Silva e José Newton Viana da Silva, todos por porte ilegal de arma de fogo, desobediência a ordem judicial e esbulho possessório.
Durante cerca de 3 horas e meia de conversações, a Delegacia de Conflitos Agrários (Deaca) conseguiu convencer os integrantes do movimento a desocuparem a propriedade rural de forma pacífica. O cumprimento de Reintegração de Posse foi expedido pela Vara Agrária de Marabá.
A ação foi realizada por policiais civis da Delegacia de Conflitos Agrários de Marabá, e contou ainda com o apoio da (CIME/MBA), sob o comando do Diretor da Delegacia de Conflitos Agrários, delegado Alexandre.
Após a Delegacia de Conflitos Agrários de Marabá receber denúncia de que um movimento Sem-Terra teria invadido a fazenda “Três Lagoas”, a equipe policial partiu em diligências e em menos de 72 horas obtiveram sucesso no cumprimento de reintegração de posse da fazenda. Diante do grave cenário de conflito agrário instaurado, as equipes policiais deslocaram-se com três equipes policiais até o local do fato.
Segundo a Polícia Civil, já na Fazenda, fora constatada a reocupação por cerca de 50 integrantes do movimento à revelia da ordem judicial, durante aproximação das viaturas foram avistados três integrantes do movimento, eles estavam armados fazendo a segurança do acampamento, instante em que policiais do CIME desembarcaram da viatura e iniciaram perseguição na mata, sendo finalizada com a prisão em flagrante dos acusados. Ainda em diligencias, as equipes adentraram a área da fazenda quando avistaram alguns integrantes do movimento em fuga, e efetuaram a prisão em flagrante de mais dos acusados.
No galpão, onde se encontravam grande parte dos integrantes do movimento, foi encontrada uma mochila, tipo rajada, pertencente a José Newton Viana da Silva, com 21 munições cal .28 em seu interior, ocasião em que foi dado voz de prisão em flagrante por porte ilegal de munição, desobediência à ordem judicial e esbulho possessório. Nas buscas foram apreendidas quatro armas de fogo e munições.
Após as prisões em flagrante e apreensões das armas de fogo e munições, o delegado que conduziu a operação reuniu os demais integrantes do movimento e iniciou a mediação com o objetivo de esclarecer a situação flagrância de esbulho e desobediência praticadas pelos acusados. Os flagranteados foram conduzidos para as demais medidas cabíveis.
Tina Santos – Correio de Carajás – com informações do Polícia Civil

Comentários do Facebook