A Polícia Federal cumpriu seis mandados de busca e apreensão na manhã desta quarta-feira (26), em Itaituba, sudoeste paraense. A ação faz parte da Operação Levigação, que reprime a “lavagem” de ouro de origem clandestina. Além do Pará, São Paulo também foi alvo da operação.
A Justiça Federal também determinou o bloqueio total de bens de alguns investigados, que totaliza R$ 187 milhões, que corresponde ao benefício obtido com a prática ilegal. Foi determinada ainda a suspensão das atividades de duas empresas que atuam ilegalmente no mercado de compra e venda de ouro sem autorização do Banco Central do Brasil.
Durante as investigações, a PF descobriu uma intensa movimentação de compra e venda por parte de empresas na cidade de Itaituba. O minério teria sido extraído ilegalmente de garimpos clandestinos e “esquentado” por estes estabelecimentos mediante expedição de notas fiscais com dados falsos.
Existem indícios de que grande parte desse ouro seja proveniente da Bacia do Rio Tapajós, o que provocado grande impacto ambiental à região. São despejados no local anualmente sete milhões de toneladas de lama procedente dessa atividade ilegal.
Os suspeitos estão sendo investigados pela prática dos crimes de usurpação de bens da União (com pena de até cinco anos de detenção), funcionamento ilegal de instituição financeira (com pena de até quatro anos de reclusão) e lavagem de ativos (com pena de até dez anos de reclusão).
Com informações e fotos da Polícia Federal

Comentários do Facebook