Segundo vizinhos, o casal constantemente discutia. (Foto: Reprodução)

Um homem identificado como Milton Cavalcante Martins, 52 anos, cometeu suicídio logo após assassinar a própria companheira, Maria de Lana Acácia, em sua residencia no Bairro Novo Horizonte, na Rua Vitória. Segundos informações da Polícia Militar, ele teria enforcado a mulher com um fio elétrico e depois pulado o muro para a casa de seu vizinho, onde se enforcou com uma corda de tarrafa (utilizada por pescadores).
O sargento da PM, Humberto de Assis, explica que por volta das 10h da manhã, uma guarnição foi acionada por um familiar do casal informando que Milton estava tentando matá-la. “Ao chegar no local, nos deparamos com a vítima deitada na cama do quarto, já falecida, apresentando marcas de enforcamento, semelhantes a um fio elétrico. Os agentes realizaram as buscas pela residencia e no quintal percebemos que Milton havia pulado o muro e empreendido fuga para a casa do vizinho, onde com uma corda de tarrafa, se enforcou pulando de uma mesa de mármore que se quebrou”, conta o sargento.

O caso aconteceu na residencia do casal, na Rua Vitória, Bairro Novo Horizonte. No entanto, Milton se suicidou na casa de seu vizinho. (Foto: Divulgação)

Ainda de acordo com o sargento Humberto, Milton faz uso de medicamentos controlados e que provavelmente, em um momento de surto, ele veio a cometer o homicídio, seguido de suicídio. Já os vizinhos do casal, informaram a equipe de Reportagem que as brigas entre ambos era constante e que Maria já teria realizado os tramites para retirada de passaporte e visto para morar com uma irmã nos Estados Unidos.
Milton é conhecido por ser empresário antigo no ramo de academias em Marabá. A PM confirmou que em sua residencia havia muitos aparelhos de academia, já que esse era o ofício da família. Maria era de Rondon do Pará e seu corpo deve ser levado para o velório e sepultamento no município. O casal deixa para trás dois filhos.
Reportagem: Zeus Bandeira, com informações de Ulisses Pompeu e da Polícia Militar – Correio de Carajás