Na foto, o túmulo de Dorothy Stang, em Anapu (Tomaz Silva/Agência Brasil) – Tomaz Silva/Agência Brasil

O fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão, de 48 anos, conhecido como “Taradão”, condenado como mandante do assassinato da missionária norte-americana Dorothy Stang e cumprindo pena no Centro de Recuperação Regional de Altamira desde o dia 16 de abril deste ano, foi transferido nessa quarta-feira (12) para um hospital particular em Altamira, no Pará.
De acordo com a Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe), Regivaldo vinha sendo atendido na Unidade de Saúde Penitenciária devido uma ferida infeccionada na região tíbia. Mas, com agravamento da infecção, com o preso apresentando quadro de febre, foi necessária a transferência hospitalar.
A Susipe informou que Regivaldo foi conduzido sob escolta policial para o Hospital Santo Agostinho. “Não há informações sobre como o condenado adquiriu a ferida, pois o mesmo só informou a direção da unidade quando já apresentava estágio avançado de infecção”, diz o órgão.
A missionária Dorothy Stang foi assassinada em fevereiro de 2005, em Anapu, no Pará. Ela lutava pela implantação de um assentamento de trabalhadores rurais numa área de terra reivindicada por madeireiros e fazendeiros, na região oeste do estado.
Reportagem: Agência Brasil

Comentários do Facebook