Por volta de 2 horas da madrugada de domingo (10), mais um assassinato aconteceu em Marabá. O palco do crime foi o bairro Jardim do Éden, no Núcleo Morada Nova. A vítima do assassinato foi Wemerson da Silva Vieira, 27 anos, conhecido como “Macaxeira”. A execução foi feita na rua principal do bairro.

“Macaxeira” foi executado a tiros, a maior parte na cabeça. Vida pregressa da vítima pode ajudar nas investigações/ Foto: Divulgação

Na manhã de ontem, segunda-feira (11), a equipe de reportagem tentou contato com o delegado William Crispim, do Departamento de Homicídios, que investigará o caso. Mas ele disse que não gravaria sobre o assunto.
O que a reportagem conseguiu apurar, com informações da Polícia Militar, que esteve no local do crime logo depois do acontecido, é que dois indivíduos em uma motocicleta do tipo Biz cometeram o assassinato. “Macaxeira” foi executado com vários tiros na cabeça.
Quem repassou esses detalhes para a Polícia Militar foi a viúva da vítima, que testemunhou o assassinato. Ela acrescentou que a vítima ultimamente estava sem ocupação e já tinha sido presa anteriormente pelo cometimento de crimes, mas não detalhou que tipo de crimes foram esses.
MAIS VIOLÊNCIA
Além desse homicídio, o final de semana registrou também casos de agressão que poderiam ter terminado em morte, mas felizmente isso não ocorreu. A maioria dos casos foi de violência doméstica e se deu no sábado (9). Um deles aconteceu na Avenida 31 de Março, Liberdade (Cidade Nova), onde uma mulher denunciou que a vizinha dela estava sendo agredida pelo companheiro, por isso, pediu apoio de uma viatura no local. Mas a guarnição que esteve no endereço não encontrou qualquer anormalidade.
Um caso de lesão corporal aconteceu na Avenida Silvino Santos, Bairro Santa Rosa (Marabá Pioneira), onde uma mulher denunciou ter sido agredida pelo namorado, mas ninguém foi achado quando a viatura policial esteve na área.
Por fim, na Avenida Gaviões, Liberdade (Cidade Nova), outra mulher disse ter sido agredida pelo companheiro. A guarnição foi até o local e constatou que o agressor não estava mais no local. A vítima se dirigiu para a casa de uma amiga, onde permaneceu até amanhã seguinte para registrar uma Ocorrência Policial na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM).
Reportagem: Chagas Filho – Correio de Carajás

Comentários do Facebook