Uma indígena de 13 anos foi vítima de estupro praticado por um grupo de sete soldados do exército. O crime veio à tona após a mídia local divulgar o ocorrido, nesta quarta-feira (24). O exército está investigando o caso e a suposta participação dos militares. O crime ocorreu na Colômbia.
Um oficial soube do ocorrido na última segunda-feira (22), em uma base militar em Pueblo Rico, e relatou o caso a um comandante da unidade, para que a denúncia fosse averiguada. A instituição declarou que já começou a impor ações disciplinares.
De acordo com o jornal “El Tiempo”, o comando afirmou que rechaça o crime, que vai contra os seus valores institucionais.
O ministro da Defesa da Colômbia também se pronunciou sobre o caso em uma rede social. “Muito grave e completamente reprovável o abuso sexual da menina indígena por parte de soldados. Eu dei instrução ao exército colombiano para tomar as medidas correspondentes e a colaborar com o Ministério Público na investigação. Os responsáveis merecem uma punição severa“, destacou.
O comandante do exército, general Eduardo Zapateiro, também disse que apoia as investigações.
A vítima, uma adolescente do povo Emberá-Chamí, foi levada a um posto de saúde, de acordo com informações do comando do exército. Funcionários da Delegacia da Família estão em contato com a menina.
Diário Online com informações do Portal do Holanda